Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Ter | 27.09.11

Equipamento: os ténis de corrida

José Guimarães
A peça de equipamento crucial é um bom par de sapatilhas. As estatísticas sugerem que por cada 1,6 km que corremos, os pés atingem o solo cerca de 800 vezes. Tanto os pés como os ténis absorvem o impacto do choque, que depois faz ricochete e sobe pelas pernas até ao resto do corpo. A falta de calçado adequado pode levar a uma série de lesões. Não se limite a comprar o primeiro par de sapatilhas que vir na loja da rua principal. É pouco provável que sejam adequadas para correr. Os ténis, as sapatilhas de aeróbica ou de cross-training também não estão à altura. É fácil ser influenciado por preços baixos, exuberâncias, cores bonitas e lojas que conhece, mas é uma compra importante, por isso escolha bem. Vá directamente a uma loja especializada em atletismo e aí poderão dar-lhe bons conselhos acerca do calçado ideal para si. Experimente diversos modelos para encontrar o mais confortável. Se for comprar um segundo par, leve consigo o antigo - apesar de velho e gasto - pois vai ajudar o pessoal da loja a avaliar o seu estilo de corrida e qual o melhor tipo de calçado para si. Algumas lojas especializadas disponibilizam um serviço "experimente antes de comprar", onde se pode fazer uma corrida para testar o calçado. É um valioso modo de avaliar o calçado enquanto se corre.   Na altura certa Tente evitar comprar calçado para correr logo de manhã. A melhor altura para o fazer é à tarde, quando já estiver bem desperto e de pé há já algum tempo. Os pés incham naturalmente durante o dia e também quando está a correr, portanto assim terá uma noção mais exacta. Lembre-se de levar as meias que usa para correr, para se certificar de que o pé fica confortável mesmo com a meia calçada. É provável que o assistente da loja especializada lhe coloque algumas questões sobre há quanto tempo corre, em que superfícies o faz e que distâncias costuma precorrer, portanto esteja preparado para lhe responder. As respostas vão ajudá-lo a aconselhar o calçado mais indicado para si. Se tiver dúvidas, não tenha medo de perguntar e especifique o preço se tiver um orçamento. O calçado de corrida ideal deve servir confortavelmente e não ficar apertado. Deve restar espaço na parte da frente para os dedos se moverem e o calcanhar deve estar aconchegado para que o pé esteja apoiado em segurança. Se parecer que a sapatilha o belisca, ou se os dedos deslizam enquanto se movimenta, não é o tamanho certo.   Seja medido Apesar de já saber o seu número de calçado, vale a pena tornar a confirmar e ser medido, se possível, especialmente se calça meio tamanho ou se tem um pé maior que o outro. Muitas lojas já não facultam este serviço, portanto é uma mais-valia encontrar um sítio que o faça. Alguns corredores relatam que após vários anos a correr, o seu tamanho de calçado aumenta, devido à curvatura do pé colapsar. Assim, até quem corre há muito tempo deve ser medido de vez em quando. Um bom par de sapatilhas de corrida com apoio vai ser uma compra cara, mas pode procurar nos saldos. Lembre-se que correr é um desporto relativamente pouco dispendioso e não precisa de muito equipamento, portanto este será o seu investimento mais importante.   Sapatilhas de corrida em geral Inserem-se em uma das três seguintes categorias:
  • Estabilidade
  • Controlo do movimento
  • Amortecimento
O tipo certo para si depende da forma do seu pé e de quanta estabilidade precisa. Para ter uma ideia acerca da forma do seu pé e das sapatilhas de corrida que necessita, pode fazer o "teste da pegada molhada". Quando sair do banho, pise um pedaço de cartão ainda com os pés molhados e veja a pegada que deixou. Assim poderá escolher as suas sapatilhas de modo muito mais informado, pois o vendedor mostrar-lhe-á as que estão dentro da categoria mais indicada para si. Teste do pé               A praia também é um sítio ideal para observar as suas pegadas na areia e descobrir que tipo de passada tem.   Tipos de pé              
  1. Pés chatos Se tem pés chatos, a sua pegada mostrará toda a sola do pé. É provável que seja um sobrepronador, o que significa que o impacto do pé sobre o solo se dá com a parte exterior do calcanhar, que depois roda demasiado para dentro (em pronação), antes de o afastar de novo com a base do pé e dos dedos - pode levar a várias lesões. Se tem pés chatos, então as sapatilhas com controlo de movimento são a sua melhor escolha. Foram inteligentemente desenhadas para reduzir a rotação do pé e do tornozelo para dentro. Tendem a ser ligeiramente mais pesadas do que os outros géneros, mas são resistentes, oferecem boa estabilidade e um excelente apoio para os pés.
  2. Pés normais Se tem pés "normais", a sua pegada mostrará a parte superior e o calcanhar ligados por uma faixa larga. É provável que seja um pronador normal, ou seja, quando corre aterra sobre a parte exterior do calcanhar, roda ligeiramente para dentro e depois afasta-o de novo a partir da base do pé e dos dedos - os seus pés são peritos na absorção do choque, logo a sapatilha de estabilidade é a melhor para si. As sapatilhas de estabilidade foram concebidas para impedir que o pé rode demasiado para dentro (o que pode causar lesões) têm um bom amortecimento e oferecem um bom apoio ao pé.
  3. Pés cavos Se os seus pés tiverem um arco cavo, a pegada mostrará uma faixa estreita ou inexistente, entre a parte da frente do pé e o calcanhar. É um supinador, o que significa que o seu pé embate no chão com a parte exterior do calcanhar, mas não roda o suficiente antes de o afastar de novo. Os seus pés não absorvem bem o impacto, portanto as sapatilhas de corrida com amortecimento são as melhores para si. Têm o meio das solas mais macio e menos estabilidade do que as outras sapatilhas de corrida, mas foram desenhadas para encorajar o movimento do pé, logo, ideais para quem tem pés com arco cavo.
Tipo de passada                 Outros tipos de sapatilhas para corrida As sapatilhas de atletismo são mais leves, tendem a ser menos almofadadas e foram concebidas para corredores com treinos de ritmo acelerado. Não são adequadas para principiantes, mas podem ser úteis como um segundo par à medida que se vai progredindo. As sapatilhas de competição são extremamente leves e quase não oferecem estabilidade nem amortecimento. Este tipo de calçado é direccionado para corredores de elite que fazem corridas velozes. Decididamente, não são para principiantes. As sapatilhas de todo-o-terreno ou de terra batida são reforçadas para oferecer maior resistência. Têm almofadas para os dedos, sola com maior tracção e são menos almofadadas do que os outros tipos de calçado. Como foram concebidas para correr em todo-o-terreno, podem ser um bom segundo par, se pensar em fazer este tipo de corrida, mas não devem ser usadas em detrimento da estabilidade, do controlo do movimento ou do amortecimento.
Ter | 27.09.11

Hidratação

José Guimarães
A água constitui cerca de 60% do nosso peso e desempenha uma série de funções cruciais: ajuda a regular a temperatura do corpo, nutre as células, ajuda na eliminação dos desperdícios, ajuda a manter a pressão arterial e a lubrificar as articulações. Se não bebe água suficiente e não faz uma hidratação eficiente, pode estar a afectar negativamente a saúde, aumentando o risco de infecções urinárias e pedras nos rins. Está claro que todos nos devemos certificar que bebemos muita água por dia, o que é ainda mais importante se corrermos ou fizermos outro tipo de exercício. Ao correr, a temperatura do corpo aumenta. Os músculos produzem calor ao queimar as calorias e o aumento da temperatura acciona a necessidade de o corpo transpirar. O acto de transpirar ajuda o corpo a arrefecer e provoca a perda de líquidos que, se não forem substituídos, pode levar à desidratação. Nem todos transpiram de modo igual quando correm. Isso é determinado por uma série de factores. A temperatura exterior tem o seu peso, pois quanto mais quente está, mais se transpira. Se estiver vento, pode ajudar a arrefecer o corpo e a reduzir essa necessidade. As mulheres tendem a transpirar menos do que os homens e o quanto se transpira depende em parte da composição genética individual. Um modo de perceber se está a beber água suficiente, ou se está desidratado é verificar a urina. Se bebeu o suficiente, terá uma cor clara ou pálida e sem odor, mas se estiver desidratado será mais escura e poderá ter mau cheiro. Outros sinais de desidratação incluem dores de cabeça, fadiga e fraqueza.

Desenvolvendo bons hábitos de hidratação

Adoptar bons hábitos em relação à água vai ajudar a sua saúde em geral, além de ajudar no seu desempenho quando corre. Tente beber entre seis a oito copos de água ao longo do dia, com intervalos regulares, o que será o equivalente a dois litros. Se esperar até ter sede para beber água, o seu corpo já está desidratado. Atenção, porque o chá, o café e refrigerantes como a Coca-Cola contêm cafeína e podem aumentar a desidratação. Não há necessidade de os evitar, mas se tenciona correr pouco depois de os ingerir, beba um copo de água para ter a certeza de que está hidratado. Quando for correr, leve uma garrafa de água (uma pequena mochila com uma garrafa pequena não deverá ser pesada demais) ou tente planear a sua rota de modo a incluir um ponto onde possa parar e beber água.

Hidratação e as bebidas desportivas

As bebidas energéticas estão amplamente disponíveis e são um bom suplemento para a água. Foram concebidas para quem faz exercício e o equilíbrio dos ingredientes garante que o corpo absorve este líquido mais depressa do que só a água ou os sumos de fruta. Há vários tipos de bebidas desportivas, incluindo as isotónicas, hipotónicas ou hipertónicas. Se vai fazer uma corrida com clima frio, a água deve bastar para repor os níveis de líquidos. Mas se estiver a treinar, a correr ou a fazer exercício por um longo período de tempo ou com clima quente, a bebida energética é uma opção muito melhor. Como guia, por cada hora em que faz exercício, beba entre 400ml a 700ml de uma bebida isotónica ou hipotónica. Ingira cerca de 400ml antes de treinar, depois beba um gole a cada 15 minutos enquanto se exercita. Em alternativa, se não conseguir beber enquanto corre, beba mais quando acabar a sessão (mas sem sofreguidão, para não causar intoxicação por excesso repentino de água), por forma a substituir os líquidos perdidos.

Quais são as diferenças entre as bebidas desportivas?

As bebidas isotónicas contêm partículas de hidratos de carbono e por vezes electrólitos. Podem ajudar a substituir os minerais perdidos e a aumentar os níveis de energia, especialmente quando contêm glucose. A concentração é a mesma do que a dos líquidos corporais, o que significa que são absorvidas ao mesmo ritmo que a água. As bebidas hipotónicas são boas para ingerir durante a corrida. O corpo absorve-as mais depressa pois contêm partículas menos concentradas do que as dos líquidos do corpo. Também podem ajudar a aumentar o ritmo a que a água é absorvida. As bebidas hipertónicas são absorvidas mais lentamente e é melhor ingeri-las como forma de recuperação ou para aumentar a energia depois de correr.
Ter | 27.09.11

Estabelecer objectivos e finalidades

José Guimarães
Muitos corredores, independentemente do nível de aptidão, consideram útil estabelecer objectivos e finalidades. Para os principiantes, isto pode traduzir-se em correr por 10 minutos sem parar, ou correr uma distância estabelecida num período de tempo ligeiramente mais curto. Outros objectivos incluem perder peso através da corrida, ficar em forma ou progredir o suficiente para participar numa corrida ou competição organizada. Ter um objectivo pode-nos ajudar a estar motivados e concentrados. Existirão dias em que não nos será tão fácil tentar correr, ou em que não nos apetece enfrentar o tempo e sair de casa. Ou talvez nos sintamos indispostos por uns dias e a nossa condição física regrida um pouco. Nestas ocasiões, os objectivos podem ser um salva-vidas, motivando-nos a continuar quando seria mais fácil desistir. Pode ajudar se invocarmos imagens de como seria atingir o objectivo e de como nos vamos sentir quando o fizermos. Tenham estes pensamentos em mente enquanto treinam, lembrando-se deles quando a situação parecer mais difícil. Pensem também em como podem festejar ou recompensar-se a vós mesmos quando atingirem o vosso objectivo, para ter algo mais por que ansiar. Se não quiserem partilhar o vosso objectivo ou objectivos, tudo bem. Mas se desejarem partilhar os sonhos com outras pessoas, elas vão vos encorajar a enfrentar o desafio e este encolvimento é um factor de motivação muito útil!   Dica: Quando estabelecerem um objectivo ou finalidade, certifiquem-se de que é algo que vos desafie, mas que seja alcançável a curto prazo. Podem ter um ou vários objectivos. Os objectivos a longo prazo também podem funcionar, mas é melhor colocá-los lado a lado com os objectivos a curto prazo, pois de outro modo podem parecer demasiado altos para alcançar.
Ter | 27.09.11

Técnica para correr quando está vento forte!

José Guimarães
Se o vento não estiver a seu favor, não há muito com que se preocupar, nem deve forçar o seu estilo de corrida. No entanto, se inclinar ligeiramente o corpo para a frente, ganhará mais aerodinâmica. Mas se vai fazer uma corrida de ida e volta, deve começar contra o vento para que este o empurre no regresso, quando a fadiga for maior.

Nesses dias deve dar pouca importância ao ritmo das passadas e preocupar-se mais com as pulsações e a sensação de esforço, já que o vento cansa mais se estiver transpirado. Evite ao máximo a roupa larga e, se estiver frio, não se esqueça de vestir um corta-vento.

 

Fonte: Men's Health Coach
Ter | 27.09.11

Como tornar a corrida parte da sua vida?

José Guimarães
Se correr regularmente, em breve verá o impacto em outras áreas da sua vida. Pode considerar que precisa de fazer algumas alterações no seu estilo de vida, ou afectar os seus hábitos de formas que não esperava. Continue a fazê-lo e pode ter a certeza de que correr vai aumentar o seu bem estar geral e de que quaisquer mudanças que fizer serão para melhor. Pode, por exemplo, tornar-se mais consciente acerca do que come e dos efeitos que isso tem no seu corpo. Pode sentir-se tentado por outros tipos de exercício - mesmo que signifique apenas estar mais disposto a correr para apanhar o autocarro - ou pode querer corrigir "maus" hábitos, como fumar ou beber demasiado. À medida que correr se torna parte da sua vida, terá mais consciência acerca da sua saúde e forma física, o que levará naturalmente a pequenas alterações no seu estilo de vida.   Elaborar um plano Agora é tempo de pensar em que dias e horas vai correr, até onde ir e o que precisa de fazer para o conseguir. É útil identificar e estabelecer períodos, o maior número possível de vezes por semana, que vai dedicar a correr, para que tenha um horário e possa planear antecipadamente as sessões. Encontrar períodos que lhe convenham depende de vários factores, como quando está a trabalhar, a cuidar da família ou envolvido em outros compromissos de longa data. Chegar a um horário pode ser um desafio por si só, no entanto, o pré-planeamento vale muito a pena, pois vai permitir-lhe ser disciplinado e garantirá que atribuiu à corrida o tempo que é necessário. Não se esqueça de que correr pode, até certo ponto, ser encaixado nos seus planos existentes. Tem algum tempo livre de manhã, antes de ir para o trabalho, na hora do almoço, ou à noite? Se é um principiante é melhor não correr por longos períodos de tempo, portanto, corridas curtas de 20, 30 ou 40 minutos podem ser tudo o que precisa. Jogue o mais possível com o seu horário para encontrar os melhores espaços de tempo para si. Quando já tiver decidido quando vai correr, avise os outros, ou pelo menos a sua família, para que saibam que não estará disponível durante esses períodos.   Preparação mental A automotivação e disciplina são essenciais, talvez especialmente nos primeiros dias. É provável que no início o progresso seja lento e existirão alturas em que se sentirá desapontado e frustrado por não conseguir correr o suficiente sem se sentir cansado. Vão até existir dias em que lhe apetecerá desistir e ver televisão. Não desanime! Quando aumentar a sua resistência e energia, correr vai tornar-se mais fácil. Conseguir+a correr por mais tempo, cobrir maiores distâncias e conquistará um ritmo mais rápido. Eventualmente conseguirá acompanhar corredores mais experientes, em vez de ficar para trás. O truque é não esperar resultados instantâneos e sim permitir que o seu corpo melhore gradualmente. Tente adoptar uma perspectiva positiva e ter pensamentos positivos. Quando um pensamento negativo, como "não consigo!" surgir na sua mente, enxote-o com um pensamento positivo como "é um desafio, mas sei que consigo superá-lo!". Se precisa de um incentivo extra, mantenha citações positivas na sua secretária o afixadas no frigorífico, para se lembrar de que correr o faz sentir bem e de que quer continuar a fazê-lo.   Fonte: Corra pela sua saúde, Rachel Newcombe, Caracter Entertainment
Ter | 27.09.11

Correr por divertimento ou mais a sério?

José Guimarães
Pode não pensar na corrida como um desporto social, mas se o desejar pode ser. Algumas pessoas gostam de correr sozinhas, mas se está interessado em ganhar apoio, em partilhar dicas e conselhos com outras pessoas, existem muitas oportunidades para se envolver no lado social. A corrida é um desporto popular e existem vários clubes de atletismo, permitindo-lhe correr num grupo maior ou ao lado de outros que estejam ao seu nível. Normalmente os clubes satisfazem todas as aptidões, quer esteja a começar a correr ou quer corra já há anos, organizam corridas com percursos e tempos estipulados, bem como eventos sociais regulares. Os conselhos, o apoio e as dicas que recebe de quem já corre há mais tempo são inestimáveis. Os clubes são uma fonte útil de informação local, pois saberá quais os locais da vizinhança onde é aconselhável correr e quais evitar.   As provas Para os principiantes pode ser suficiente aprender a correr, manter o hábito e melhorar lentamente. Mas à medida que se progride, pode querer mais e existem imensas oportunidades para o fazer. Participar em corridas, seja pela competição, pela simples alegria de correr ou para angariar fundos para causas solidárias, pode ser muito gratificante. As provas de 5km e de 10km são bem populares entre os corredores. Muitas instituições de solidariedade organizam corridas anuais para angariação de fundos, que ajudam a promover os benefícios de ficar em forma e levam as pessoas a experimentar a corrida, enquanto simultaneamente angariam fundos para um trabalho valioso. Qualquer pessoa seriamente empenhada em correr e que esteja em busca de um desafio, pode ter debaixo de olho uma das conhecidas maratonas anuais. Muitos países organizam eventos internacionais, que incluem as famosas maratonas de Lisboa, de Londres e de Nova Iorque.   Fonte: Corra pela sua saúde, Rachel Newcombe, Caracter Entertainment
Ter | 27.09.11

Porquê optar por começar a correr?

José Guimarães
Volto a tocar neste assunto, porque de todos os desportos e formas de exercício, correr é um dos mais fáceis e acessíveis. Não envolve um vasto conjunto de equipamento dispendioso, não precisa de perder muito tempo nem dinheiro a aprender como fazê-lo e nem de se deslocar até um local específico para o efeito. Qualquer pessoa, em qualquer lugar, desde que queira, pode fazê-lo. Correr traz imensos benefícios físicos, mentais e sociais. Fazer exercício impulsiona a saúde e a forma física e correr ajuda a reduzir o risco de desenvolver uma série de condições debilitantes, como problemas cardíacos, osteoporose, artrite, pressão arterial elevada e diabetes. Sendo uma excelente forma de aérobica, correr é também um dos melhores exercícios com que se pode comprometer se deseja controlar o seu peso ou manter-se em forma. Por cada quilómetro que corre, pode queimar cerca de 100 calorias. Correr vai ajudar a reduzir a gordura corporal e a tonificar os músculos, tornando-os mais magros e capazes. Pode também ter um impacto positivo nos seus hábitos de dormir, pois o exercício regular melhora o sono. Se correr regularmente vai também aumentar a resistência, dando-lhe mais energia, podendo assim lidar com as exigências da vida. Muitas pessoas sentem-se realizadas por correr - mesmo nos níveis iniciais, quando o progresso pode parecer lento - e, por sua vez, este sentimento impulsiona a autoestima e a confiança. Acredite ou não, correr ajudá-lo-á a relaxar. Se sofre de stress, correr é também uma forma de o combater.   Fonte: Corra pela sua saúde, Rachel Newcombe, Caracter Entertainment
Ter | 27.09.11

Como combinar corrida e filhos?

José Guimarães
Esta é uma das perguntas mais frequentes. Um horário laboral - sobretudo se for fixo - dará um melhor planeamento para correr. No entanto, todos nós sabemos que as crianças não têm horários, nem mesmo aos fins de semana; e por muito que pensem que vão correr numa determinada hora, há sempre algum imprevisto que vos impede. Eis algumas soluções: Conselho 1: Inscreva as crianças num clube ou ginásio em que haja actividades com monitor. Assim ficará com o seu precioso tempo para correr. Conselho 2: Inscreva-os numa modalidade colectiva, porque existem muito mais probabilidades de eles desfrutarem do treino. Conselho 3: Dependendo da sua idade, leve-os a correr consigo, nem que os leve no carrinho de bebé ou eles o acompanhem de bicicleta.    
Ter | 27.09.11

Onde o exercício e o divertimento se encontram

José Guimarães
Muitas pessoas não praticam exercício físico, ou não praticam uma alimentação saudável, porque pensam que é difícil e requer muita disciplina. Pois parece-me que estão a perder algo muito divertido. Se for feito da maneira errada, o exercício físico é difícil e aborrecido, além de dar muito trabalho. Se o fizerem da maneira errada, comer de forma saudável irá dar trabalho e requerer muita disciplina. E é por isto que as pessoas (incluindo eu, logo quando comecei a correr) fazem com muita frequência coisas não saudáveis, porque são aparentemente mais fáceis e mais divertidas: é fácil ficar a ver televisão ou a navegar na internet. É muito mais divertido comer um prato de batatas fritas, frango assado e doces. Isto acontece porque, regra geral, as pessoas procuram divertimento fácil e não coisas que requerem disciplina e implicam aborrecimentos. O truque é relativamente simples: descubram o que é saudável e divertido para vocês próprios. Depois procurem a zona onde esses dois mundos coincidem. Quando isto acontecer, tenham cuidado: estarão no bom caminho para ficar em forma.

Comida saudável e deliciosa

Quando olhamos para as dietas saudáveis como aborrecidas e chatas, não as conseguiremos manter por mais de alguns dias, com sorte por uma semana ou duas, mas não mais. Mas se, pelo contrário, conseguirmos encontrar comida saudável e deliciosa, será muito fácil de manter uma dieta saudável. Geralmente eu procuro fazer uma alimentação diversificada, maioritariamente de origem vegetal e pouca de origem animal: diferentes vegetais, fruta, sementes e frutos secos. Bebo algum vinho, café, chá e muita água. Como geralmente porções modestas e, somente de forma ocasional, alguns doces, fritos e bebidas adocicadas. Aborrecido? Não se o fizerem da forma certa. Por exemplo, aqui estão alguns alimentos que eu considero deliciosos:
  • Manteiga vegetal (já experimentaram manteiga de amêndoa ou de amendoim?)
  • Pão escuro
  • Frutos vermelhos
  • Abacate
  • Manga
  • Laranja
  • Bananas
  • Cereais à base de frutos secos
  • Canela
  • Vegetais salteados com azeite
  • Especiarias
  • Molho tahini com arroz integral
  • Cozinhar com leite de côco
  • ...
E isto, só para começar, são alguns dos meus paladares preferidos - os vossos serão com certeza diferentes. Será portanto necessário que encontrem as comidas com o paladar que mais vos agradar e que também sejam saudáveis. Façam algumas experiências e partilhem com os amigos. Também tenho descoberto que o meu paladar varia de tempos a tempos, portanto, dêem uma oportunidade a outros alimentos diferentes.

Fitness divertido

Eu não faço exercícios aborrecidos. Se eu detesto fazer algo, simplesmente deixo de o fazer. Não tenho tempo de vida suficiente que reste para desperdiçar a fazer coisas que não gosto. Regra geral faço exercício todos os dias, porque adoro fazê-lo. Como é que aprendi a gostar de fazer exercício? É simples: divirto-me! Divirto-me todos os dias e adoro fazê-lo. Quando exercício é diversão é impossível forçarem-se a fazê-lo. Vocês vão quer mesmo fazê-lo. Alguns exemplos de como se podem divertir:
  • Vão correr com um amigo e tenham boas conversas.
  • Vão para o parque de diversões com os seus filhos e subam as barras com eles.
  • Joguem à bola com os vossos filhos.
  • Enquanto os vossos filhos aprendem a andar de patins ou bicicleta, vocês podem correr ao lado deles.
  • Brinquem com os vossos filhos, andem com eles às cavalitas, façam de balouço, brinquem de cavalinho ou façam flexões ou agachamentos com eles às costas.
  • Façam corridas com os vossos filhos pelo monte acima do tipo "o último a chegar é um ovo podre!!!".
  • Atirem coisas pesadas (sacos de areia, bolas de fitness, troncos, etc).
  • Passeiem com família e amigos.
  • Entrem em corridas de vez em quando, por puro divertimento, não para fazer bons tempos ou chegar numa boa posição.
Estes são só alguns exemplos, alguns dos quais eu adoro fazer. As coisas que vocês acharem divertidas se calhar são diferentes e, mais uma vez, é preciso que experimentem antes de saberem o que gostam e não gostam de fazer. Mas, regra regal, não pratiquem exercícios aborrecidos. Descubram onde o divertimento e o exercício coincidem. É que faz uma enorme diferença!
Ter | 27.09.11

Sente-se mais feliz por ser corredor?

José Guimarães
Correr, sobretudo se o fizer com intensidade, activa as endorfinas: as hormonas da felicidade. O corpo tem o seu próprio mecanismo para exteriorizar os sentimentos de felicidade. Fá-lo através de hormonas denominadas de endorfinas. Existem numerosos estudos que demonstram existir mais endorfinas no cérebro humano depois de correr do que antes. E quanto mais em forma estiver e quanto mais intensamente tiver treinado, mais endorfinas se libertam. Por isso é que, mesmo que se sinta em baixo, deve treinar com mais afinco (sem passar dos limites) para deixar sair toda essa fonte de energia positiva acumulada. No entanto, há que ser paciente e entender que, até adquirirem um determinado patamar físico, os atletas novatos passarão por algumas dificuldades até alcançarem esse estado próximo da libertação total. A boa notícia é que esse nível que se necessita para alcançar tão agradável sensação não tarda a chegar, se for minimamente persistente e conciso com o treino. É isso que é fascinante nesta modalidade: o facto de se poder começar do zero e sentir progressões todos os dias. Experimente calçar um par de sapatilhas e vá correr. Verá como a sua qualidade de vida e o seu estado de ânimo começarão a melhorar desde as primeiras passadas para, à medida que avança no caminho, extravasar-se até aos limites insuspeitos da felicidade.   Fonte: Men's Health Coach