Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Seg | 02.06.14

Treinar na serra de Sintra

José Guimarães
Como precisava de ter um domingo relativamente tranquilo em termos de treinos, juntei-me a uns amigos que iam treinar no sábado de manhã em Sintra. O objetivo seria fazer um treino relativamente duro, não em extensão, mas em desnível e ritmo de corrida. Não que este último tivesse que ser rápido. Às vezes não precisamos de correr rápido para treinar bem. Relembrando o último post que aqui publiquei, acima de tudo temos que saber o que queremos alcançar, para treinarmos de forma adequada e conseguirmos tirar o melhor rendimento daquilo que fazemos. E como o meu objetivo se chama UTMB, não me parecia haver melhor opção aqui nas redondezas do que um treino na Serra de Sintra, que previa 3 horas de duração e cerca de 1.200m de desnível positivo (D+). Iam estar várias caras conhecidas no grupo, pelo que desde logo dava para prever alguns ritmos diferentes, dando assim para adequar a passada a uns ou a outros, conforme me sentisse mais ou menos em forma. O Bruno e eu madrugámos e chegámos meia hora mais cedo à barragem da Lagoa Azul, portanto ainda deu para aquecermos um pouco as pernas antes de chegarem os restantes desportistas matinais. Assim tornava-se mais fácil começar o treino. E começou bem. E o ritmo adoptado logo desde o início foi calmo, o que permitiu que o grupo se mantivesse junto, bem disposto e sempre na conversa. Claro que a conversa acabou assim que a primeira subida apareceu. Como o objetivo seria tentar fazer as 3 horas sempre a trote, optei por manter "o anzol fisgado" no grupo da frente e adoptar a postura o mais relaxada possível, tentando não gastar muita energia, mas nunca perder terreno. Esta coisa da postura relaxada permite-nos recuperar enquanto corremos em terreno plano ou nas descidas, para depois aplicarmos a energia onde ela faz mais falta nos trails: nas subidas. Basicamente o que eu tento fazer é correr com uma passada mais curta e com uma cadência maior, o que faz com que não tenhamos que recorrer tanto ao "cardio" para correr, confiando mais na biomecânica natural do nosso corpo para tal. E desta forma se passou todo o treino dessa manhã: enquanto subíamos tentava manter-me no grupo da frente e enquanto rolávamos tentava recuperar o fôlego o melhor possível. Posso dizer que consegui andar sempre no grupo da frente nas primeiras 2 horas. Depois foi mais difícil de "aturar" algumas subidas com maior inclinação e só na meia hora final comecei a sentir falta de uma das minhas barrinhas energéticas para me alimentar, pois o corpo já começava a acusar o cansaço e não me permitiu manter o contacto com as duas lebres que corriam como se a serra fosse plana. Chegados novamente à Lagoa Azul, além da excelente experiência que é poder correr na Serra de Sintra, este foi um excelente treino para todos. Podia ter sido noutra serra qualquer (por exemplo, no próximo fim de semana vai ser na Serra da Estrela, no Oh Meu Deus). O importante é que se treine de forma adequada aos objetivos que temos em mente. No meu caso, tenho que me manter mais nos treinos de desnível do que nos treinos de quilómetros. Não são os 168 km do UTMB que me assustam. O que me deixa nervoso são os quase 10 km de desnível positivo (D+) que os Alpes nos reservam que me deixam... disse nervoso? Juntem-lhe ansioso, receoso, etc... Vamos aos treinos? Se tiverem boas dicas para acumular desnível digam-me! Quem sabe não organizamos uns grupos de gente boa para treinar?