Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Sab | 15.08.15

Sobre bebidas desportivas, isotónicas e afins

José Guimarães
Esta semana que passou fui treinar a Sintra com o Sr. Ribeiro e como já não o via há muito tempo aproveitei para meter a conversa em dia. Entre um PUFFF(!!!) e um ARF ARF(!!!), uma das coisas que conversámos foi sobre a bebida desportiva que ele iria levar para o UTMB - Ultra Trail du Mont Blanc, que marcas é que já tinha experimentado e se já tinha chegado a alguma conclusão. O meu objetivo era trocar umas impressões com ele sobre o assunto, já que, nestas coisas de provas com mais de 10... ok, 20 ou 30 horas (vamos mesmo apontar para as 40 horas, ok?), nunca é demais saber o que os outros atletas tomam como suplementos à alimentação que se pode encontrar nos postos de abastecimento. Isto para, também eu, chegar às minhas próprias conclusões e definir o que levar para a prova, que tem lugar já no dia 28 de agosto. Foi uma conversa simples. Entre algumas marcas que já havíamos experimentado, chegámos à conclusão que o mais adequado que conseguiríamos encontrar seriam os géis e a bebida isotónica da SiS, além de umas barras energéticas de acordo com o paladar de cada um.

Para que servem as bebidas isotónicas

As bebidas desportivas desempenham um papel importante na ingestão de hidratos de carbono, já que o formato líquido é a forma mais fácil de os introduzir no organismo. Cada uma das saquetas que vou levar para o UTMB (ver mais abaixo quais são) dá para 500ml de água e representa uma ingestão de entre 40 gr e 50 gr de carbohidratos, com baixo teor de açúcares, o que permite evitar picos muito elevados de glicémia, apostando numa libertação mais prolongada da energia. Esta libertação prolongada de energia é tanto mais importante quanto mais longa for a prova, que é o caso do UTMB, o tipo de corrida onde tipicamente necessitamos de ingerir cerca de 60 g de carbohidratos por hora. É fácil de fazer as contas... Há uma diferença substancial entre estas bebidas desportivas e as conhecidas bebidas energéticas, como a Red Bull e afins. As bebidas desportivas não só fornecem facilmente carbohidratos ao desportista, como também têm eletrólitos e ajudam a repor o sódio e sais minerais que se perdem na transpiração, favorecendo uma hidratação mais completa. Além disso, ainda vêm com o brinde do cálcio, magnésio e potássio.

Alternativas à bebida

Além das bebidas desportivas é importante pensar noutros formatos de ingestão de carbohidratos, principalmente para quem gosta mais de beber água durante as provas. É onde aparecem os géis e as barras energéticas. O problema que sempre tive com os géis energéticos reside no facto que, ao fim de tomar 2 ou 3 géis, só pensar que tenho que tomar uma coisa daquelas e fico com o estômago às voltas! O doce começa a ser demasiado enjoativo e, tal como já me aconteceu com outras bebidas isotónicas que apostam no açúcar para entregas rápidas de energia, passadas poucas horas o meu estômago já não tolera qualquer tipo de alimento, não sendo por isso possível ingerir quaisquer carbohidratos. Estes géis mais líquidos da SiS e com pouco açúcar evitam chegar a esta fase, tornando mais fácil a ingestão e digestão dos carbohidratos. Além disto, é importante apostar nos alimentos sólidos (e normais) fornecidos durante a prova nos postos de abastecimento, já que são estes que nos vão permitir a ingestão habitual de todos os tipos de coisas que o corpo está habituado a comer e que podem ser desde uma sopa ou um café quentinho, alimentos salgados como bolachas de água e sal, queijos ou frutos secos, ou ainda doces como chocolates, marmeladas, fruta, entre outros. Espero que estas dicas vos ajudem a, também vocês, encontrarem o vosso suplemento ideal e preferido para cada tipo de prova. Para já resta-me apostar nesta seleção e garantir assim que consigo minimizar as perdas que vou sofrer ao longo dos 170 km do percurso do UTMB. Vai ser duro, mas é assim que eu gosto!