Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

07.Mar.13

Quando um corredor não pode correr

  Depois de dois dias full-time a dar formação (tarefa difícil quando se está com uma garganta que parece feita de pergaminho), regresso aos posts para deixar um desabafo que me persegue há alguns dias: não posso correr! Depois do treino na serra de Sintra com o Dean Karnazes, o meu estado de saúde ainda não melhorou. Na verdade também não piorou. Mas a garganta irritada e esta maldita tosse que nunca mais passa não me deixam treinar nem correr em condições. E tendo isto em conta, a segunda e a terceira pessoas responsáveis pela minha condição física nas corridas (a primeira sou eu), o António e a Meire, ontem recomendaram-me repouso até ao próximo fim de semana. Sem correr. Depois do post da Susana, parece que a minha virose deixou foi meio mundo sem correr. Esta manhã, enquanto conversava com a Filipa Brás dos Run4Fun no seu acolhedor café Alecrim (ali ao pé do Rato), à volta de um carioca de limão com mel para ver se acalmava a garganta, chegava à conclusão que uma série de malta das corridas anda doente ou adoentada: o Luís está constipado, o Neiva também, o JC andava com tosse mas pelos vistos já se curou (pelo menos já regressou aos treinos de 30 km na serra)... e como o que eu quero é curar-me e correr como se não houvesse amanhã, vou cerrar os dentes e dar descanso aos ténis e ao corpo. Pelo que me disseram e pelo que também pude ver em alguns artigos na net, todos são prudentes e recomendam que, quando sentimos que alguma coisa que não corre bem com a nossa saúde, não devemos forçar, pois treinar quando não nos sentimos bem pode ser contraproducente.

O que não me deixa correr

Cada vez que me esforço mais e puxo pela respiração, como os brônquios estão inflamados, começo a tossir. Os tecidos inflamados incham e estreitam a passagem de ar. Juntando a isto a produção de muco, a dificuldade em respirar agravam-se, o que me faz tossir. Felizmente não tenho (agora) outros sintomas mais graves, como febre ligeira, fadiga, dores corporais ou dores de cabeça. Pelo que percebi, isto tudo é causado por um vírus que tende a desaparecer depois de alguns dias a chatear o seu anfitrião. Vamos pois esperar.

Quando posso regressar aos treinos?

A resposta é: não sei! Claro que quem sente nisto das corridas um vício, quer regressar aos treinos já amanhã... para não dizer hoje ou "ontem". Mas vou-me portar bem e ser cauteloso. Vou aproveitar para meter os emails e os posts em dia e dedicar-me aos novos desafios profissionais que se aproximam. E vou continuar a beber chá de gengibre com mel (desculpa Meire, mas não consigo mastigar gengibre, blhéc!!!). Portanto, tal como diz o artigo, recomendo a todos os que estejam neste mesmo lindo estado o seguinte: "work on getting better, not on working out". As melhoras...   Fonte: Livestrong