Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

16.Jan.17

Quando o treino que fazes não é o treino que querias fazer

Penso que todos nós já tivemos daqueles dias em que um treino não sai de acordo com o que estava planeado. Provavelmente por causa de algo que estava fora do nosso controlo, como o mau tempo, ou o ginásio estar fechado. Ou simplesmente porque estávamos cansados, ou a alimentação não chegou para fazer face às necessidades do corpo. E ainda há aqueles momentos em que tomámos uma decisão que afetou toda a nossa performance. Talvez tenhamos decidido colocar mais peso na barra, correr mais rápido, adicionar algumas repetições...

Independentemente da razão pela qual o treino não corre como estava planeado, o mais importante é a forma como nós próprios reagimos a isso.

Esta é uma lição que recordo muitas vezes. No sábado saí para fazer cerca de 2h30 de bicicleta, a um ritmo calmo, preferencialmente sem sair da zona 2. Acontece que, logo à saída de casa comecei a ver o caso mal parado, tal era o vento forte que se fazia sentir de norte! Ora, se metade do percurso era feito nesta direção, o treino não ia começar de forma nada fácil e muito menos iria ser feito de forma progressiva. A ajudar a esta festa, também o frio que se fazia sentir teve como consequência que, ao final de 1 hora, o ritmo que não deveria ultrapassar os 150bpm teimava em rondar os 160bpm e eu pedalava a uma velocidade mais lenta do que desejava.

Não. De facto, este treino que deveria servir para construir uma base sólida, para uma prova que transpira resistência por todos os poros, não estava a correr conforme planeado e tinha que tomar uma decisão. Deveria forçar, ou parar? Deveria esgotar fôlego e pernas, ou dar-lhes a carga prevista com outra alternativa? Continuar em esforço iria trazer-me algum benefício? Provavelmente não. Então seria mais importante manter-me o mais possível fiel ao que estava planeado e arranjar uma alternativa. Penso que tomei a opção correta em ter ficado por ali e optado por outro percurso mais abrigado, mesmo que mais curto e montanhoso, porque ponderei todas as alternativas antes de tomar esta decisão e nenhuma era melhor que esta, tendo em conta o meu objetivo.

Este treino foi bom para me relembrar que, acima de tudo, temos que saber ser flexíveis e nos adaptar quando as coisas não correm conforme estava planeado. É mais importante focarmo-nos no "todo", naquele que é o objetivo final, do que nos pormenores, como um simples treino. É também muito importante sabermos extrair todos os aspetos positivos destas experiências e tratarmos bem do nosso corpo, sem abusar muito dele. Porque - afinal de contas - só temos um e, nestas coisas, os erros e os abusos pagam-se caros.

Bons treinos! ;)