Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Ter | 19.03.13

Porque é que o Marketing adora Maratonistas?

José Guimarães
Às vezes leio coisas que me deixam realmente satisfeito. Foi o caso de um artigo escrito por um jornalista que acompanho num grupo do Linkedin, cujo título dizia: "Are you a goal-oriented planner?". O artigo fala de duas coisas que neste momento são pontos-chave na minha vida: o trabalho (marketing digital) e o desporto (correr). Não me passa pela cabeça deixar de parte qualquer uma destas duas atividades. Ainda para mais agora que abraço novos desafios, tanto numa como noutra área... e em ambas em simultâneo! Sinto-me tão realizado enquanto maratonista como quando colaboro com alguma empresa no meio online. E pode parecer que não, mas estas duas atividades têm muito mais em comum do que à partida poderíamos pensar ser possível. No último fim de semana tive a oportunidade de falar com um grupo de pessoas interessadas em começar a correr, por ocasião de um evento organizado pelo blog Diário de um Batom, para o qual fui convidado. E falei sobre uma das coisas boas que a corrida me trouxe: a noção que para levar alguma coisa a "bom porto", preciso de saber gerir o meu tempo e as tarefas necessárias para atingir o objetivo em questão. Nas corridas - como no trabalho - passa-se o mesmo. É bom gostarmos do que fazemos e divertirmo-nos com isso. Mas se não traçarmos objetivos concretos e realistas e se não trabalharmos afincadamente nas ações necessárias para os atingir, dificilmente conseguiremos cumprir as metas com que nos comprometemos. E é nisso que os maratonistas são especialistas.

O que é um maratonista?

Parece uma questão idiota, mas o tal jornalista que falei aborda a coisa de dois pontos de vista interessantes. Experimentem antes de mais abordar alguém que nunca correu uma maratona e peçam-lhe para descrever um maratonista. Provavelmente essa pessoa vai responder que um maratonista é alguém que já correu os tais 42 km (e mais qualquer coisa). Agora perguntem o mesmo a alguém que já tenha corrido uma maratona e provavelmente vão ter respostas diferentes e mais variadas. Porquê? Porque acredito que um maratonista é mais do que somente uma pessoa que consegue correr a distância de 42,195 km. Sim, este é o objetivo de um maratonista e esta é a característica essencial que nos une nesta "classe" mítica. Mas limitar esta descrição a algo como "alguém capaz de percorrer uma certa distância num determinado período de tempo" parece-me por si só um bocado redutor. Já aqui há uns tempos escrevi um artigo sobre a diferença entre um atleta e alguém que corre. Com o mesmo espírito, reforço neste post que um maratonista é também muito mais do que alguém que corre uma corrida de 42 km. Todos nós somos a personificação de uma série de valores. São esses valores que definem quem somos e que nos permitem cobrir essa mítica distância, mas essencialmente são eles que que garantiram a nossa presença no tiro de partida. E são esses valores que fazem com que disciplinas como o marketing decidam investir em provas desta natureza, ou seja, as características positivas que correr uma maratona representa e que muitas empresas (pelo menos aquelas com uma visão estratégica aguçada) decidem aproveitar. Veja-se a título de exemplo algumas das maratonas mais concorridas dos EUA e os respetivos patrocinadores: Porque é que empresas como estas decidem investir tanto nas maratonas? Principalmente porque elas adoram as pessoas que participam nas maratonas, em particular os maratonistas, porque estes são vistos como pessoas que estabelecem e perseguem objetivos concretos e trabalham com método para os atingir. São aquilo que o marketing considera como um grupo demográfico pré-qualificado. De acordo com a diretora de marketing do ING, "são planeadores deliberados e que fazem o seu melhor para atingir os seus objetivos". Senão vejamos:

Objetivos

Tudo começa com um objetivo, sermos capazes de o visualizar no tempo e fazer os possíveis para o cumprir. O que nos move não é a gratificação instantânea, mas a sensação de realização. não só sabemos o que queremos, como sabemos o que é preciso para o atingir. Estabelecemos objetivos porque gostamos de desafiar os nossos limites e não temos receio de o fazer.

Planeamento

Não só estabelecemos objetivos, como sabemos o que é preciso para os alcançar. A corrida pode demorar somente umas horas, mas o caminho para lá chegar demora meses, senão mesmo anos a levar a cabo. Seja pela disciplina nos treinos, pela dieta ou pelo sono, pensar em correr uma maratona implica planear toda a vida à volta desse objetivo concreto.

Compromisso

Correr uma maratona é mais ou menos como uma relação a longo termo. Podemos ter um objetivo e um plano, mas para lá chegar temos que ser fiéis aos mesmos. Ser um maratonista requer espírito de sacrifício e com certeza que todos os que correram (ou treinam agora para) uma maratona já se questionaram algures no tempo o porquê de estarem a fazer o que estão a fazer. No entanto, mantiveram-se fiéis ao compromisso.

Paixão

Um maratonista tem indiscutivelmente uma grande paixão pela corrida e pelo que esta lhe traz, tanto fisicamente como espiritualmente. Correr não é simplesmente algo que se faz com as pernas, mas antes de mais é algo que vem do coração. Os maratonistas vêm a corrida como parte daquilo que são e não somente como algo que fazem. Interiorizamos as nossa corridas passadas e estamos sempre a pensar e a planear as próximas corridas. Como se costuma dizer, não corremos para viver, mas vivemos para correr.   A beleza destes valores é que se podem aplicar a qualquer um de nós. Tal como o autor do artigo, não posso afirmar que quando comecei a correr maratonas e ultra-maratonas compreendi repentinamente que possuía estas qualidades. No entanto, perceber que nas atividades que mais gostava de praticar estes valores estavam presentes permitiu-me afirmar que sim, que tento sempre trabalhar por objetivos e planear bem o que faço para os atingir. Em resumo, seja um processo consciente ou não, uma das grandes razões que nos fazem estar "aqui" é simplesmente o facto de interiorizarmos estes valores. Enquanto podemos correr pelas mais diversas razões, mantemo-nos unidos pela partilha de uma experiência única. Assim sendo, devemo-nos todos orgulhar pelos nossos feitos e conquistas - sejam eles quais forem -, não simplesmente porque corremos, mas porque, tanto nas corridas como na vida do dia-a-dia compreendemos o que é que afinal significa isso de ser um maratonista. Fonte: Boston Marathon Blog