Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Ter | 04.02.14

Patinem... para correr melhor

José Guimarães
Aqui há uns dias partilhava numa conversa com o André - um grande amigo que tem uma paixão (e um à vontade) enorme por andar de patins em linha - a vontade que tinha em experimentar aqueles patins em linha compridos, para fazer (ou simular, não sei bem) ski de fundo. Já sei andar de patins em linha. Aprendi há uns anos, bem antes de começar a correr. E o que é certo é que gostei. Hoje, já em plena vida de corridas, "tropecei" por acaso num artigo muito interessante que fala dos benefícios de patinar para - isso mesmo - correr melhor! E ainda na semana passada vi por duas vezes um senhor a patinar nestes patins ali na zona entre o Parque das Nações e Santa Apolónia (vejam a foto, que não é do dito senhor, mas da atividade que ele estava a fazer).nordic-cross-skating Como sou um adepto de multi-desporto (dedicar-me só à corrida é algo que não me assiste, assim como só nadar, ou só andar de bicicleta, ou só ginásio), partilho aqui o artigo e convido quem queira a um dia se juntar numa sessão de patinagem... mais ou menos artística, dependendo dos "artistas".

Como é que patinar nos pode ajudar a correr melhor?

Diz o artigo que andar de patins em linha desenvolve força muscular, potencia a capacidade aeróbica (tolerância ao lactato), melhora o equilíbrio e coordenação e queima calorias - aproximadamente 350 calorias/min. O gasto calórico anda um pouco acima do do ciclismo e um pouco abaixo da corrida em ritmo lento. Mais ainda, andar de patins em linha não tem praticamente qualquer tipo de impacto negativo sobre o corpo, fazendo com que seja uma boa alternativa como atividade física de manutenção, tal como bicicleta ou natação.

Benefícios concretos

Devido aos trilhos normalmente irregulares e acidentados, os corredores de trail running mexem-se naturalmente mais do que os corredores de estrada. Senão vejamos: pensem em saltar de um lado para o outro através de lama, ou de uma rocha para a outra, isto enquanto atravessam um riacho. Mesmo quando estabilizamos os pés numa rocha é necessária força dos músculos laterais, bem como coordenação dos adutores da parte interna da coxa com os abdutores da parte externa. Adicionalmente, correr em subidas íngremes requer força dos músculos posteriores para nos dar propulsão para a frente e para cima, bem como uns quadricípedes fortes para controlar as descidas. Patinar fortalece todos estes grupos musculares. Combinando então isto com desafios simultâneos de equilíbrio e trabalho cardio-vascular, patinar cria uma certa "confusão muscular" que garantidamente vai deixar os mais novatos com dores em todos os lugares certos para as ter.

Como patinar?

Se nunca experimentaram ou são inexperientes no que toca a patins em linha, foquem-se em algumas dicas simples: os ombros devem situar-se sobre as ancas e ficar virados para a frente, mais do que rodar de um lado para o outro, como se vê tantas vezes. Mantenham os joelhos e tornozelos direitos. Transfiram um pouco do vosso peso para a frente dos tornozelos. Dobrem-se a partir dos tornozelos, joelhos e ancas e movimentem uma perna para o lado e para trás para gerar movimento. À medida que começarem a rolar, tentem um movimento de pernas muito suave, maximizando aos poucos a distância de rolamento em cada perna, usando o balanço dos braços coordenado com o movimento das pernas. Mas antes de tudo isto se tornar prática comum, aprendam a travar. Os patins em linha têm quase todos um travão para controlar a velocidade e/ou parar. Para trazar, coloquem o pé do travão ligeiramente para a frente e levantem a ponta do pé, fazendo com que o travão (na parte de trás) toque no chão. Tenham cuidado para não transferirem o peso muito para trás, ou arriscam-se a cair com o rabo no chão! Já agora, seria importante usar proteções: para os joelhos, cotovelos, mãos e - claro - um capacete. Uma regra de ouro nos patins em linha é: mais tarde ou mais cedo, toda a gente cai! À medida que ficam mais à vontade com os patins em linha e que a força e coordenação melhoram, é quase garantido que as mesmas melhorias se vão notar na corrida.

Alguns exercícios para praticar

Treino intervalado

  • Aquecer com 10 minutos de patinagem fácil
  • Patinar rápido durante 4 minutos, com um nível de esforço semelhante ao ritmo de uma meia-maratona. Nas descidas adoptar uma postura inclinada para a frente (como os patinadores de velocidade).
  • Patinar devagar durante 2 minutos, numa postura direita.
  • Repetir 4 minutos rápidos, seguidos de 2 minutos de recuperação, até completarem 5 séries.
  • Voltar à calma com 10 minutos de patinagem fácil.

Treino em rampas

Encontrem uma estrada inclinada, longa e sem trânsito.
  • Aqueçam com 10 minutos de patinagem fácil.
  • Patinem subida acima durante 1 minuto no máximo esforço.
Baixem o centro de gravidade, inclinando-se para a frente e dobrando os joelhos para aumentar a passada. Façam tanta forma quanto possível com as pernas. Balancem bem os braços para mais impulso.
  • De seguida endireitem-se e desçam a estrada de volta ao início. Usem o travão ligeiramente para controlar a velocidade na descida.
  • Repetir até fazerem 10 séries.
  • Voltar à calma com 10 minutos de patinagem fácil.

Treino livre

Encontrem um parque de estacionamento grande e livre e patinem como (ou com) as crianças. Por exemplo:
  • Façam gincanas entre obstáculos.
  • Experimentem curvas apertadas.
  • Crossover: fazer curvas cruzando as pernas à frente uma da outra enquanto curvam.
  • Patinar de costas.
  • Rolar em posição agachada.
Fonte: Trailrunnermag.com