Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

23.Jan.14

Levar a família para os trails

Foto: Abutres Trail Running School Não é segredo para ninguém. Todos sabemos que, quanto mais queremos correr, mais temos de treinar para estarmos aptos. E esse tempo de treinos é quase sempre exclusivo de nós próprios, corredores, o que, de certa forma, nos priva da companhia daqueles que mais gostamos, sejam família ou amigos. Mas o tempo que passamos a correr e o tempo com a família não tem de ser necessariamente exclusivo de uns ou de outros. Um artigo que li há uns dias no Huffington Post sugere que provavelmente muitos de nós não estamos a usar os fins de semana para descansar e recarregar baterias como deveríamos (bem sabemos que um descanso adequado é essencial num bom plano de treinos). Em vez disso, usamos esse tempo para adiantar algumas tarefas de trabalho, preparando a semana que está prestes a recomeçar. Nesse artigo há uma afirmação muito simples que fala sobre o intervalo de tempo que fica entre as 18h00 de 6ª feira e as 6h00 da manhã de 2ª feira e que diz assim: "Temos imenso tempo para nos divertirmos, relaxar e - mais importante ainda - para recarregarmos baterias". Durante a semana não tenho propriamente tempo livre para relaxar, mas estas simples palavras levam-me a pensar que - tal como muitos de nós - se calhar poderíamos fazer um esforço um pouco maior para gozar um pouco mais os fins de semana, não só nós próprios mas também com os que nos rodeiam, muitas vezes cônjuges e filhos que ficam privados da nossa companhia enquanto corremos ou pedalamos durante 2 ou 3 horas (quando não é mais). As corridas - mais ainda quando se pratica trail running e longas distâncias - conseguem ser atividades apaixonantes, mas que também nos impossibilitam de estarmos com a família... que não corre. Normalmente, para minimizar o tempo em que estamos separados uns dos outros, ocupamo-nos destas atividades logo de madrugada, quando o resto da família ainda está a dormir. E até pode ser que essa parte da família que não nos acompanha nas corridas nem se queixe. Mas é inevitável sentirmos um bocadinho daquele sentimento de "culpa" por não partilharmos esta parte da nossa vida com eles. Afinal de contas, se a corrida está em nós, faz sentido partilhar.

Vamos levar o "Maomé" à montanha?

O ditado popular diz que "se Maomé não vai à montanha, vai a montanha a Maomé"... mas neste caso teríamos mesmo de levar os "Maomés" à montanha. E porque não? Há sempre vantagens em passar algum tempo ao ar livre, seja no campo, no meio das árvores ou no topo de uma montanha, mas desde que seja próximo da Natureza e longe do cenário urbano. É mais que certo que, hoje em dia, a atual geração de crianças parece preferir a facilidade do entretenimento dentro de casa à "trabalheira" das atividades ao ar livre. Mas talvez isso só aconteça porque não lhes foi incutido (ou, pelo menos, não da forma mais correta) algum espírito de aventura e sensação de bem estar. Não devem existir sensações muito melhores do que sujar as mãos e pés com terra, trepar uma parede rochosa, atravessar um riacho ou chegar ao topo de uma montanha. Nem mesmo para uma criança. Vejam o sucesso do projeto da escola de trail running Abutres Trail Running School, por exemplo. Mesmo que nem todos os vossos amigos e família gostem de correr (atenção: não é obrigatório correr!), de certeza que ninguém fica indiferente a um passeio no meio da Natureza. É bem diferente de passear na cidade. Os vários desafios que uma simples caminhada pode oferecer adiciona algum valor acrescentado à experiência. Por muito simples ou difícil que seja um desafio (não esquecer de assegurar os níveis de segurança), ultrapassá-lo traz a qualquer Ser humano uma sensação de realização pessoal única, difícil de igualar com uma consola de jogos. As aventuras ao ar livre oferecem tantas recompensas para todos os membros de uma família que não custa começar a incorporar um passeio num ou noutro fim de semana, sempre que possível. E, claro está, como corredores de trail que somos, não há melhor forma de introduzir aqueles de quem mais gostamos nestas aventuras, levando-os a ver os trilhos onde corremos e partilhando algo que já nos é tão familiar e que tanto nos apaixona. Aqui ficam algumas dicas para o poderem fazer com a vossa família:
  • Organizem expedições nos trilhos com outros amigos que tenham filhos da mesma idade dos vossos. Os mais novos até podem não gostar muito da ideia de ir caminhar, mas assim que souberem que aquele amigo também vai, isso pode ser suficiente para mudar de atitude.
  • Não conheço bem o geocaching, mas experimentem encontrar amigos que estejam por dentro desta atividade e juntem-se a eles. Esta pode ser uma boa forma de introduzir algumas aventuras nos trilhos, já que implica ir à busca de pistas.
  • Levem a família e filhos para algumas corridas de trail onde participem e deixem-nos experimentar a excitação e camaradagem que vocês tão bem conhecem. E porque não voluntariarem-se em conjunto para ajudar numa prova?
  • Ofereçam um incentivo: deixem-nos escolher, por exemplo, onde tomar o pequeno almoço em família depois da corrida ou do passeio.
  • Comprometam-se! Levem-nos para uma corrida ou passeio num fim de semana e deixem-nos escolher a atividade do fim de semana seguinte.
  • Criem um desafio de verão: vejam quantos trilhos e quilómetros conseguem fazer em família nas férias (e preparem as recompensas ao longo desse percurso!).
  • E acima de tudo lembrem-se: divirtam-se e usufruam do momento!
  Fonte: trailrunnermag.com