Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Sex | 07.03.14

Finalmente vou fazer um km vertical

José Guimarães
Em primeiro lugar posso adiantar que não sei o que é um km vertical. Já fiz um (e até mais) quilómetro vertical: assim de repente, durante os 115 km da travessia da ilha da Madeira no MIUT fizemos 3 quilómetros verticais: os 2 primeiros até ao posto de controle situado aos cerca de 30 km de prova e, umas horas depois, entre os 60 km e 70 km fizemos outro - a subida do Curral das Freiras até ao Pico Ruivo - que nos levou dos 600 m até quase aos 1.800 m de altitude. No entanto, fazer uma prova só dedicada a isto - subida - é desafio que promete... algumas dores nas pernas talvez.

Mas afinal o que é isto de um km vertical?

Para quem não sabe, um quilómetro vertical é uma prova que não se mede pela distância, mas sim pelo desnível positivo (D+), ou seja, a diferença que vai desde a altitude a que se situa o local da partida até à altitude do local da chegada. lousa1000-kmverticalNo caso da prova Lousã 1000, serão 10 km de corrida (até aqui nada de mais), com partida marcada na vila da Lousã (às 10:00 horas de sábado, dia 8 Março) e chegada no Trevim, o ponto mais alto da serra, situado a 1.200 m de altitude. Ora, se a Lousã se situa a mais ou menos 200 m de altitude, estamos a falar de 1.000 m de subida, ou seja, o tal km vertical.

Mas onde está a dificuldade em fazer 10 km?

A principal dificuldade numa prova desta natureza será aguentar o esforço de estarmos constantemente a subir. Mesmo que a prova seja relativamente curta, imaginem-se subir uma escadaria ao longo de 10 km. O esforço vai-se acumulando nas pernas e também ao nível do "cardio", já que conforme passa o tempo, o coração é constantemente solicitado para bombear cada vez mais sangue, para os músculos aguentarem o esforço. O tempo máximo para percorrer 10 km são 4 horas... e acho que isto diz muito! Será uma boa prova para ver em que nível está a preparação física e... sim, em que nível está o meu pé e a famosa fasceíte plantar, que felizmente tem-se portado bem nos últimos tempos, mas até ver ainda não teve uma solicitação à altura. Será desta? Nota: não sei se deva levar bastões, mas pelas imagens que costumo ver de provas desta natureza, os corredores quase todos o fazem... Já algum de vocês participou num km vertical e quer contar como foi? Partilhem as vossas experiências. Nós os que ainda não o fizemos agradecemos!

1 comentário

Comentar post