Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Sab | 26.04.14

Faz mal faltar aos treinos?

José Guimarães
Com certeza que já perguntaram isto a vocês próprios: faz mal se faltar a um treino? Claro que não. Mas o efeito que pode ter na nossa forma física ou objetivos pode variar muito, dependendo das nossas tendências de treino. Sabem se fazem parte do grupo dos que evitam, dos fanáticos ou dos entusiastas? Percebam a tendência de cada um destes tipos, vejam com qual deles se identificam e fiquem com algumas dicas específicas para o vosso caso.

Os que evitam

Costumam falhar muitos treinos. Têm dificuldade em se manterem motivados, às vezes o suficiente para sair de casa. O exercício é a última das prioridades.

Os fanáticos

Levam-se ao limite! Têm uma tendência clara para o vício na corrida ou no exercício físico. Até treinam em cima de lesões, em detrimento de um bom estado de saúde constante e de longo prazo... e possivelmente em detrimento de outros aspectos das suas vidas.

Os entusiastas

Ficam no meio termo. Têm normalmente uma perspectiva equilibrada sobre o que é o exercício físico. Praticam exercício com regularidade e um entusiasmo saudável, o que pode incluir tanto um interesse competitivo, como um completo desinteresse pela competição. Gostam sim de se sentir em forma e tiram todo o partido disso.

Fiquem com algumas dicas para vos ajudar, estejam em que grupo estiverem:

Para os que evitam

Estar em forma é crucial para a saúde e bem estar geral. Estar em forma vai melhorar todos os aspectos da vida de quem se encontra neste grupo. Assim que provarem o bem que sabe estar em forma, vão querer mais e mais. Aqui estão algumas ideias que vos podem ajudar a manter a motivação:

1. Comecem com exercícios mais pequenos, mas regulares. Em vez de faltarem a um treino, experimentem minimizá-lo. Podem amaldiçoar as aulas de 60 minutos, mas se calhar somente 10 minutos de treino podem deixar um gostinho do bem que sabe.

  • Caminhem durante 5 minutos numa direção e depois 5 minutos na direção oposta. Adicionem a estes 10 minutos alguns intervalos. Aumentem os minutos de dia para dia. Vá lá, calcem os ténis e façam-se à estrada!
  • Escutem bem, alonguem um pouco e sigam qualquer impulso para se mexerem. Se escutarem um pouco mais o vosso corpo, muitas vezes vão ouvi-lo dizer que se quer esticar e mexer. Deixem-se levar por qualquer um destes impulsos e desta forma já estão a juntar algum movimento ao vosso dia.

2. Comprem um bom par de sapatos de corrida para minimizar qualquer desconforto e terem assim uma motivação adicional. Comprem um par de sapatos coloridos e que chamem a vossa atenção. Não os guardem no armário. Deixem-nos à vista para que os possam admirar, em casa ou mesmo no escritório.

3. Caminhem ou corram em locais que gostam. Encontrem um trilho num parque da vossa zona, ou escolham um percurso que passe pelas lojas que gostam de observar. Permitam que os olhos alimentem a alma com o que vêem enquanto correm: natureza, outras pessoas, o ar livre, etc.

4. Minimizem o desconforto com conhecimento de causa. Se têm alguma dor ou medo de algum tipo de lesão, tentem encontrar ajuda com quem já passou pelo mesmo, ou com um profissional.

5. Encontrem um parceiro de treinos com quem se sintam obrigados a aparecer. Ou juntem-se a um grupo de corrida. Tornem o exercício físico também parte da vossa vida social.

6. Sejam um bom pai para vós próprios: escutem o vosso lado mais pessimista... sim, escutem-no. Deixem que essa voz seja ouvida, mas reconheçam que ela faz parte de vocês. Vão descobrir que o lado que está à escuta tem uma visão muito mais ampla para vocês e para o que vocês são capazes de fazer.

Para os fanáticos

Tal como a comida, o exercício é melhor quando serve um objetivo, apesar de não ser o objetivo de vida. Se têm tendências para praticar demasiado exercício, então faltar a alguns treinos até pode ser benéfico para este grupo.

1. Façam sempre um aquecimento de 5 minutos. Esta é uma forma perfeita de começar a movimentar o corpo, mas acalmem o ímpeto de começar a correr rapidamente. Alonguem sempre com calma no final do treino. Tirem também algum tempo para acalmar o ritmo do corpo, antes de partirem para a próxima atividade ou compromisso.

2. Quando forem correr, usem lembretes para sentirem e se manterem alertas do que representa o vosso "core", a tal "power house". Esta prática vai-vos manter ligados à realidade do vosso corpo, em vez de se deixarem levar pela ideia do que é que deveriam estar a fazer.

3. Foquem-se em canalizar a energia para dentro. As pessoas que praticam demasiado exercício sentem que gastam muita energia. Durante os vossos exercícios (e mesmo ao longo do dia) façam o oposto e foquem-se em canalizar e acumular energia dentro do vosso corpo, mais do que gastá-la.

4. Caminhem e corram à vontade. Podem praticar exercícios à vontade, mas de vez em quando acalmem um pouco o ímpeto de correr rápido, por exemplo. Quando saírem para um treino longo, adoptem um ritmo mais tranquilo e façam dos treinos mais curtos os melhores para correr rápido.

5. Aprendam a relaxar o corpo: os ombros e pescoço, ancas e zona pélvica e até mesmo as pernas e gémeos. Deixem que toda a energia do corpo seja armazenada e seja canalizada a partir do "core".

6. Escutem aquela parte de vocês que quer ir mais rápido ou mais longe e encarem isto como um voto, mas nunca como a decisão final.

Para os entusiastas

Parabéns por terem um relacionamento positivo com o exercício físico. Provavelmente têm uma boa ligação corpo-mente, conseguindo sentir o que é que o vosso corpo precisa, mas também não esquecendo alguma informação da cabeça. Provavelmente têm a presença necessária e a aceitação que é precisa para fazer o melhor que têm a fazer no momento.

Para vocês será somente uma questão de afinar a vossa consciência em relação aos movimentos e ao vosso programa de treinos em geral, por forma a que se mantenham em contacto com o vosso objetivo ou com o que sentem que é melhor para vocês.

Aqui ficam algumas dicas para se manterem no caminho certo para umbem estar formidável:

1. Continuem a aprofundar a sensibilidade que têm com o vosso corpo. Aprendam a sentir ainda mais a verdadeira motivação da vossa rotina de corrida ou caminhadas. À medida que o fazem, encontrem-se naquela reserva de energia que vos acompanha todo o tempo.

2. Pratiquem conscientemente a recolha e distribuição eficiente de energia durante os vossos exercícios. Continuem e concentrem-se naquilo que aumenta a vossa energia e com o que diminui o acesso a ela.

3. Movimentem sempre o vosso "Chi". Quando estiverem sentados, ao computador, usem a vossa postura, respiração e sensibilidade para movimentar a energia ao longo do vosso corpo.

4. Tenham uma aproximação interessada ao vosso estado físico. Todas as práticas físicas não devem ser rígidas. Observar, escutar e aprender com o nosso próprio corpo e experiência é o mais importante.

5. Aprofundem a prática do relaxamento, enquanto mantêm um abdominal forte. Uma pessoa experiente consegue facilmente perceber onde é que se está a acumular tensão, mesmo quando pensamos que estamos relaxados. Sintam o vosso corpo e percebam onde é que têm tensão acumulada e libertem-se dela.

6. Permitam que o vosso corpo faça intuitivamente aquilo que sente que é melhor. Reparem como o corpo responde melhor ao piso ou ao meio envolvente, quando a mente está conectada no momento presente.

No final, não importa como se definem a vocês próprios ou aos outros, o que interessa é o processo. Continuem a trabalhar no sentido de encontrar o equilíbrio certo e a sensação de se sentirem vivos e a vibrar com o que estão a fazer.

Fonte: Chi Running