Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Dom | 17.02.13

Entre travesseiros e pães de Deus

José Guimarães
  Este foi - acima de tudo - um fim de semana entre amigos. Mas o título do post não foi à toa. Foi um fim de semana de treinos, mas também de doces. Sim, doces. E mesmo desses: travesseiros e pães de Deus. E onde é que eles são melhores? No sábado, em Sintra, depois de andar com um grupo de amigos a fazer o reconhecimento do percurso para o treino com o Dean Karnazes, já no próximo dia 23 de manhã. E no domingo, depois de ter o prazer de participar na Corrida Solidária da Padaria Portuguesa, organizada em parceria com os Run4Fun. Foi um fim de semana cheio de calorias!

Primeiro os travesseiros

Sábado de manhã, eram 08h00 e já eu estava na portaria da Quinta da Beloura, a aguardar pelo resto do grupo. Falhei nas horas, porque o encontro estava marcado para as 08h30. Ou então estava mesmo com vontade de me levantar antes das 07h00 para ir correr para a serra de Sintra num sábado de manhã. O nosso intuito era essencialmente um: fazer o reconhecimento do percurso que no próximo sábado (dia 23 de Fevereiro) será feito na companhia do conhecido ultra-atleta norte-americano Dean Karnazes. Sim, esse mesmo. Famoso por correr 50 maratonas, em 50 estados dos EUA, em 50 dias consecutivos, Dean vem agora Portugal para o lançamento do seu novo livro "RUN!" e irá participar num treino connosco, para conhecer a serra de Sintra. recon-sintra-dean-karnazes-desedentarioamaratonistaPara quem conhece a serra de Sintra, o percurso irá passar por alguns dos pontos mais emblemáticos da mesma, como a Lagoa do Rio da Mula, a Pedra Amarela, Monge, etc. Para os que não conhecem a serra, aqui está uma boa oportunidade de conhecer os melhores trilhos e vistas que a mesma tem para oferecer. E não deixem de se inscrever, pensando que por irmos correr com este ultra ser humano, vamos correr depressa e que ninguém o vai apanhar. Pretende-se acima de tudo usufruir da companhia do Dean e que, no final, todos possamos confraternizar e (espero eu) tirar uma fotografia com esta lenda das corridas longas. E se, no final, se sentirem cansados (o reconhecimento demorou um pouco mais de tempo do que o previsto, mas pretende-se que o treino não ultrapasse muito as 2 horas de duração), podem sempre reabastecer e recuperar forças na loja Funbike, o ponto de partida e chegada do percurso. Caso não vos chegue (ou sejam gulosos como eu), podem sempre fazer como eu fiz, que é rumar à vila e ir comprar uns travesseiros!

Os pães de Deus e as "padarias"

De vez em quando sinto que ando a abusar. Porque isto de me levantar mais cedo ao fim de semana (para ir correr) do que durante a semana, tem que se lhe diga. E este domingo não foi exceção. Aí estava o despertador a tocar antes das 07h00. Pequeno almoço tomado (o primeiro) e equipado a rigor (e com as devidas precauções, por causa da chuva), lá saí rumo à Padaria Portuguesa da Av. Duque d'Ávila, onde iria partir a Corrida Solidária da Padaria Portuguesa. Esta corrida, organizada pela Padaria Portuguesa em parceria com o conhecido grupo de corrida Run4Fun, tinha o objetivo de angariar fundos para a Casa Mão Amiga... e segundo sei conseguiram. Com mais de €3.000 angariados, ficou demonstrado que isto das corridas tem que se lhe diga do que simplesmente correr. Não sei quantas pessoas foram, mas é interessante ver que, mesmo com chuva, a montra de cada uma das Padarias Portuguesas onde íamos parando quase que desaparecia, atrás da mole humana que se reagrupava, antes de seguir caminho. E mesmo com a chuva a cair constantemente ao longo de todo o percurso, a boa disposição é - de facto - contagiante! Deu para rever os amigos habituais destas andanças (ou correrias), para fazer novos amigos e ainda para reatar amizades de liceu! Esta fica como apontamento de reportagem: a quantidade de amizades meio perdidas ao longo destes anos que já reatei à conta das corridas. Sou só eu? Não me parece. Deu também para trocar contactos e ideias para corridas futuras, como as do próximo fim de semana, em Sintra (e não só). Isto de repente tornou-se parte da vida do dia-a-dia. Como dizia alguém hoje, entre uma passada e outra, correr tornou-me mais focado. Pessoalmente tornou-me também mais consciente das coisas que gosto e não gosto de fazer. E veio para ficar. De alguém que há 2 anos atrás nem gostava de correr, não estou a ver agora passar sem isto. Gosto de correr. Gosto de travesseiros de Sintra. E gosto dos pães de Deus que nos esperavam no final desta corrida solidária. Parabéns aos organizadores, pelo bom trabalho e principalmente pelos resultados. Vemo-nos em breve?