Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Sab | 24.08.13

De dentro e de fora: como é vista a rotina de quem faz desportos de resistência

José Guimarães
A rotina de um atleta de resistência é vista de formas diferentes por quem está “de dentro” e por quem está “de fora”. Adaptado de um site que um amigo me enviou (obrigado Luís, está mesmo fabuloso), ficam alguns dos nossos momentos e algumas visões do que fazemos.

Momento 01: acordar às 4h da manhã numa terça-feira.

Visão de dentro

O atleta: “Não acredito que tenho que acordar agora. Estou morto! Parece que me deitei há 15min! Vou postar já um bom dia no Facebook, quem sabe não consigo uma energia boa por ali?” Os amigos atletas: “Afffff… Não é que ele já acordou para treinar todo animado e eu ainda estou aqui nesta preguiça? Vou ter que me levantar e treinar também para não ficar para trás!” O treinador: “Ótimo! Tá animado! Hora de apertar o ritmo!”

Visão de fora

Os amigos: “Boa! Dá-lhe! Força guerreiro! Um dia eu também chego lá! Queria ter a tua disposição e a tua energia logo de manhã! És incansável!” Os amigos do trabalho: “Bolas! Tu acabas com a gente! Esta hora da manhã já nadaste, correste e pedalaste... só hoje fizeste o volume que eu faço no mês inteiro! Isso é humilhante!” A esposa: “Que seca! De novo e de novo e de novo. Oh que inferno! Não vejo a hora desta prova chegar e ele passar a dedicar mais tempo à família!” Os invejosos: “Acordou às 4h, postou no Facebook e voltou a dormir, de certeza. Ninguém consegue acordar a esta hora para ainda ir trabalhar depois.”

Momento 02: festa de aniversário da sogra.

Visão de dentro

O atleta: “Festa em plena sexta, às 20h? Não acredito. Como é que fica o meu treino de bike amanhã de manhã com o resto da malta? Ainda tenho que preparar a minha bike, o isotónico, separar os suplementos... Vou ter que me deitar tarde e ainda por cima o treino de amanhã vai ser puxado. E é um treino importante para a prova. Mas tudo bem. A família merece este sacrifício. Dou um jeito de fugir dos fritos, dos refrigerantes, da cerveja. Quem sabe não roubo umas frutas, levo umas barras de cereais e pronto. Tomara que consiga voltar cedo para casa.” Os amigos atletas: “Coitado! Vai-se dar mal. Vai ter que aturar a festa, comer mal, dormir mal. Vai acabar por adormecer, ou então vai acabado no treino.” O treinador: “Vai e fica tranquilo! Tens feito tudo certo até aqui. Não há grande problema! Só não abuses, não comas porcarias e volta cedo para casa.”

Visão de fora

Os amigos: “Aaaaah! Estás a brincar! Nunca sais com a gente e quando sais ficas aí só...! Claro que vais beber! Só uma, tá?! O que é que isso vai atrapalhar a tua vida? Só hoje! Para de ser maricas! Vais comer uma barrinha é?” Os amigos do trabalho: (estes não foram à festa...) A esposa: “De que adianta vires à festa se depois ficas aí com essa cara? Não vais comer nada nem beber nada? Era melhor teres ficado em casa! Ah, e vais-me dizer que não podes dançar comigo também? O quê? Queres ir embora agora? Mas ainda são 22h! Não mesmo, se quiseres vais sozinho! Eu vou ficar com as crianças. Que m...., só pensas em ti, só vives para esta m.... de prova.” O resto da família: “Ele está doente, de certeza! Olha como está magro e abatido! Parece um zombie! Disse que vai fazer uma prova que pedala não sei quantos kms e depois ainda corre uma maratona. E parece que nada também. Só pode ter ficado maluco, isso não é nada normal. Os invejosos (se ele cede à pressão): “Sabia que aquela disciplina toda era só fachada… Ninguém é capaz de ter tanta persistência”. Os invejosos (se ele não cede à pressão): “Credo! Olha que tristeza! E que vida infeliz! Nem mesmo numa festa ele relaxa um pouco? Eu é que não quero uma vida desta pra mim!”

Momento 03: aparece uma lesão

Visão de dentro

O atleta: “Ah, não! Agora não! Não vai ser nada sério, vou cuidar disto e vai passar. Prometo que vou fazer musculação, alongamentos, pilates, fisioterapia, respeitar os ritmos, não mudar os dias dos treinos, dormir bem, comer o que é certo…” Os amigos atletas: “Ai ai ai. A bruxa está à solta! Tomara que nada disso aconteça comigo e que ele se recupere depressa! Estava a ir tão bem!” O treinador: “Vamos reduzir de volume e intensidade. Vamos fazer treinos para manutenção do cardio, você está bem condicionado, vai dar tudo certo.”

Visão de fora

Os amigos: “Força! Vai dar tudo certo! Já já estás de volta! Se não der para fazer esta prova podes fazer outra!” Os amigos do trabalho: “Beeeeem!!! Como andas mal-humorado! Está tudo bem contigo?” A esposa: “Eu sabia que isso ia acontecer. Não sei para quê isso tudo. Ele está a querer provar o quê e a quem? Quem sabe agora com isso não abranda um pouco ritmo fica convencido que está a exagerar?” Os invejosos: “Bem-feito! Só podia mesmo dar nisto! Estava na cara! Ninguém aguenta fazer uma coisa destas!”

Momento 04: em dia de treino longo

Visão de dentro

O atleta: “Hoje foi duro, mas foi importante. Consegui testar a minha estratégia de prova. Estou confiante. Agora só quero tomar um banho e descansar!”. Os amigos atletas: “Treino bem! Foi um treino de monstro!” O treinador: “Boa! Os treinos estão a evoluir!”

Visão de fora

Os amigos: “Beeeeeeeemmm! O meu ídolo!” A esposa: “Passou a manhã inteira fora e agora quer descansar à tarde? Ah, não! Hoje vamos ao cinema, às compras, ao mercado, a casa da minha mãe, à festa das crianças, à praia...!” Os invejosos: “Que mentiroso! Colocou o GPS no carro! Só pode! Quem é que é capaz de pedalar 180km ou correr 35km? Ainda mais na estrada num calor destes!”

Momento 05: em dia de treino curto

Visão de dentro

O atleta: “Não sei como aguentei fazer este treino intervalado. Comecei morto, mas melhorando no meio do treino. Fiquei feliz com o ritmo!” Os amigos atletas: “Ele está a voar!” O treinador: “Cuidado para não forçares demais! Segura essa vontade porque estamos perto da prova e agora não é hora de te magoares!”

Visão de fora

Os professores do ginásio: “Então, estás desanimado? Só 40min na passadeira?” Os amigos: “Então?! Dia de descanso? Hoje até dava para te acompanhar! 40min eu aguento! No próximo treino chama-me!” A esposa: “Se eu soubesse que ias correr pouco assim tinha ido contigo. Nem convidaste!” Os invejosos: “A prova está a aproximar-se e está com medo de se dar mal, começou a dizer a verdade. Que treininho pobre!”

Momento 06: semana da prova, lá vem a constipação!

Visão de dentro

O atleta: “Ah, não! Aaaaaaaaaaah, não! Logo agora! Calma, corpo! Vamos, vamos! Recupera! Tanto treino para chegar aqui e ficar doente?” Os amigos atletas: “Tomara que não aconteça comigo, tomara que não aconteça comigo…” O coach: “Descansa! Tudo o que tinhas que fazer, está feito! Estás pronto!”.

Visão de fora

Os amigos: “Que treta! Descansa! E se não der para fazeres esta prova, há outras!” A esposa: “Eu avisei para ele não correr com aquela chuva toda na semana passada.” Os invejosos: “Pronto! Já está a inventar desculpas para não fazer a prova!”

Momento 07: durante a prova

Visão de dentro

O atleta: “Ai, m....! O gel caiu! Não acredito que me esqueci das cápsulas de sal. E esta meia, parece que está a entrar pelo sapato a dentro. Hummm… Sinto-me solto! Não acredito que cheguei ao km25 tão inteiro! Estou bem! Iiih! O que foi agora!? Que peso é este nas pernas? Não vou conseguir manter este ritmo até ao fim! Quem me mandou puxar o ritmo na bike? Agora estou a pagar caro! Segura, segura! Vai assim até ao fim que vais fazer o tempo que queria fazer. Só mais até aquele poste…” Os amigos atletas: “Boaaaaaa! Vamooooooos! Uhuuulllll… Bem, ele está inteiro e eu já estou todo roto!” O coach: “Boa! Mantém, mantém!”

Visão de fora

Os amigos: “Boaaaa! Vaaaaai! Só faltam 30km! Forçaaaa! Está tudo bem com o teu joelho?” (E lá se foi todo o trabalho mental para ignorar quanto faltava e também a lesão que estava a começar a dar sinais de vida!) A esposa: “Vamos! Já está a acabar!” Os invejosos: “Tomara que quebre, tomara que quebre, tomara que quebre…”

Momento 08: logo após a prova

Visão de dentro

O atleta: “Missão cumprida! Feliz! Sofrido! Não quero pensar noutra prova pelos próximos meses! Será que eu teria feito um tempo melhor se tivesse feito algo diferente?” Os amigos atletas: “Ótimo! Parabéns pela prova! Foi sofrida, né? Aquele vento deu cabo de mim!” O treinador: “Parabéns!”

Visão de fora

Os amigos: “Parabéns! Linda medalha! Tu mereces! Vai comemorar!” A esposa: “Eeeh! Parabéns! Até que enfim a prova chegou e acabou! Vou voltar a ter fins de semana de novo!” Os invejosos: “Por aquilo que dizia treinar, devia ter feito bem mais rápido” (dizem os invejosos, mesmo tendo chegado depois dele na prova.)

Momento 09: uma semana depois da prova

Visão de dentro

O atleta: “Já está na hora de voltar aos treinos! Estou farto de não fazer nada! Quando será a próxima?” Os amigos atletas: “Vamos fazer aquela prova no fim do ano?” O treinador: “Descansa!!”

Visão de fora

Os amigos: “Mas já? Ah, mas para ti é fácil! E já estava com saudade do teu bom dia às 4h no Facebook!” A esposa: “NÃOOOOOOOOOOO! De novo, não! Lá vou eu novamente…” Os invejosos: “Ninguém está com vontade de treinar agora. Só pode ser mentira.”   E pronto! Quem está “de dentro” acha sempre que está a fazer tudo o que pode fazer para acertar, procura com todas as suas forças conciliar os treinos com as outras dimensões da vida... e nunca é fácil. Quem está de fora acha sempre que quem está de dentro não faz mais nada que não seja treinar. Os invejosos estão sempre a tentar diminuir os oturos numa declaração escancarada da ciência das suas próprias incapacidades. A verdade é que, muitos de nós, atletas de resistência, tiramos boa parte da nossa energia e motivação das pessoas que nos cercam e nos apoiam. Os treinos são os momentos onde aprendemos muito sobre nós, o que nos permite sermos pessoas melhores. Esta é uma das principais magias do desporto de resistência: apesar de aparentemente solitário, estamos sempre carregando connosco as melhores vibrações daqueles que nos querem bem e a procurar impactar positivamente aqueles que nos rodeiam. Impactar e ser impactado de forma positiva pelas pessoas é o que dá sentido às relações. Esta é a grande troca entre os que estão “de dentro” e os que estão “de fora”. O resto não vale a pena. Bons treinos! Adaptado do site Papo de Esteira.