Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

28.Fev.13

Correr "barefoot": de volta às origens?

Aqui está um tema que, por si só, traz alguma polémica à mistura. Antes de mais, correr "barefoot" significa "correr descalço". Claro que já ninguém corre descalço (apesar de terem existido alguns atletas olímpicos que o fizeram, até há alguns anos atrás). Atualmente a tecnologia permite que alguns tipos de calçado nos transmitam uma sensação praticamente idêntica, oferecendo no entanto alguma proteção aos pés. É também possível encontrar alguns livros e artigos na internet, capazes de nos dar algumas luzes sobre o que representa esta transição de correr calçado para o correr praticamente descalço. De facto verifica-se uma tendência na corrida para a adoção de calçado "barefoot" ou minimalista, com os Vibram 5 Fingers talvez no topo da lista dos mais conhecidos. Pessoalmente, gosto muito de correr descalço. Já quando era pequeno adorava correr descalço na praia ou na relva fresca das férias de verão (quem não gostava?). Eram outros tempos. Mas ainda mais recentemente, recordo-me de um quente mês de Agosto, passado quase inteiramente numa casa de praia no Algarve... sempre descalço! No final das férias, a planta dos pés estava grossa como a sola de um sapato. Atualmente não corro "barefoot". Não me entendam mal. Gosto! Mas a última vez que o fiz abusei... e ainda hoje me lembro das dores nas canelas, que ficaram como um sinal de alerta contra os abusos.

Correr "barefoot" ou com calçado minimalista

Algumas vantagens

Como cedo se começou a perceber, ao corrermos descalços estamos a fazer o que os humanos já fizeram confortavelmente há milénios atrás. Agora estamos é a evoluir para um formato mais ou menos popular. Esta tendência apareceu em particular devido a uma série de patologias nos pés que foram aparecendo mais recentemente, muitas causadas pelo calçado moderno, ficando a ideia geral que, um pé mais forte é um pé mais saudável. Assim sendo, como é que os nossos antepassados caminhavam e corriam sem lesões? Estudos recentes mostram-nos que os corredores "barefoot" evitam lesões porque aterram com o meio do pé ou mesmo com a zona frontal do pé, em vez de aterrarem com o calcanhar no chão. Ficou demonstrado que aterrar com o calcanhar causa mais impacto, o que aumenta o risco de lesões nos membros inferiores. Isto porque são estes músculos e toda a estrutura inferior quem absorve a maior parte do choque. Outras pesquisas indicam que correr com ténis aumenta o risco de lesões nos tornozelos, não só porque diminui a nossa perceção da posição correta do pé, mas porque aumenta a possibilidade de torções no tornozelo. Também se diz que correr "barefoot" reduz o consumo de oxigénio, mas claro que em percentagens mínimas. No entanto, não há ainda estudos muito conclusivos que comparem o efeito da corrida "barefoot" com aquela feita com calçado tradicional, tanto em ambientes reais como simulados. Faltarão talvez pesquisas mais exaustivas que nos digam também porque é que a maior parte dos corredores não escolhem correr "barefoot", isto apesar da especulação comum nos dar respostas relativas a feridas, bolhas, danos na pele e outros problemas devidos à sobre-utilização desta tendência. Por último, a corrida em modo "barefoot" sabe - regra geral - muito bem, porque o pé tem imensos nervos sensoriais, que estão mais ativos quanto mais próximos com o chão estiverem. E esta é uma atividade que pode ser muito confortável, desde que a planta do pé tenha algumas proteções mínimas (como as naturais calosidades).

Algumas desvantagens

Se normalmente sempre tiveram uma passada "de calcanhar", vão demorar algum tempo a treinar o corpo para um tipo de passada em que se usa o meio do pé ou a parte frontal do pé, principalmente porque irão necessitar de pés mais fortes, isto para não falar nos gémeos e outros grupos musculares. Se nunca experimentaram correr descalços, vão certamente enfrentar mais problemas e mais facilmente irão desenvolver lesões, como por exemplo no tendão de Aquiles  Assim sendo é sempre aconselhável adotar um método de treino que inclua muitos alongamentos e o reforço desses "novos" grupos musculares que, até agora, foram pouco utilizados. Correr com calçado normal também irá proteger o pé de coisas simples como vidros ou outros objetos cortantes, pedras, etc. Além disto, o chão pode transmitir doenças que se transmitem através da pele dos pés descalços. Usar calçado irá servir de prevenção contra todos estes riscos. Por fim, correr "barefoot" é decididamente um método de corrida alternativo que vale a pena ter em consideração, efetuando pesquisas ainda mais profundas. Estudem bem todas as vantagens e desvantagens, tentem obter conselhos de fisioterapeutas, ortopedistas ou alguém mais experiente, antes de embarcarem nessa viagem. Seja como for, se escolherem começar a correr "barefoot", então aconselho vivamente que treinem especificamente para tal. Desenvolvam um plano de treinos que funcione bem convosco, escutem sempre o vosso corpo e usem o senso-comum. Só desta forma poderão evitar problemas que se podem vir a tornar bem graves.

Sugestões

Se já forem utilizadores de calçado "barefoot" e tiverem algum conselho ou sugestões a fazer para quem pretende conhecer melhor este "método" de corrida, deixem os vossos comentários, críticas ou links para artigos que achem relevantes. Os futuros "barefoot" agradecem.

2 comentários

Comentar post