Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

19.Jul.12

Cancro da pele: como correr e evitá-lo

Já é ponto assente que todos aqueles que dedicam uma parte do seu dia (ou todos os dias) a correr ao ar livre, beneficiam de um melhor estado de saúde, um menor risco de sofrer de doenças do coração, diabetes, entre outros benefícios que tanto se abordam actualmente. Mas correr regularmente também significa que estamos mais expostos aos raios ultravioletas, que é o maior factor de risco para se desenvolver cancro da pele. Aliás, quem passa mais tempo que o normal exposto ao sol - como é o caso dos corredores - tem um maior potencial de risco para desenvolver cancro da pele, incluindo melanoma. Só nos Estados Unidos, todos os anos são diagnosticados 3,5 milhões de novos casos de cancro de pele, tornando-o na forma mais comum de cancro. isto significa que 1 em cada 5 americanos irá desenvolver cancro da pele algures na sua vida. E enquanto o melanoma - o formato mais mortífero - contabiliza-se somente como 5% dos casos, causa 75% das mortes relacionadas com cancro da pele. E a incidência de melanoma está a aumentar. A sobrevivência depois do melanoma depende de quão cedo é detectado, já que nos casos de melanomas mais profundos têm uma maior possibilidade de disseminação, causando a morte. As boas notícias é que as taxas de sobrevivência aumentaram nas décadas mais recentes: em 1996, 92% dos pacientes com melanoma sobreviveram, enquanto que essa taxa entre 1950 e 1954 era somente de 49%. As más notícias? Nos Estados Unidos há uma morte por hora causada por melanoma.

Manutenção preventiva

Felizmente para todos aqueles de nós que precisam do seu momento ao ar livre, podemos prevenir o cancro da pele - só temos que ser preventivos e vigilantes. As sugestões vão no sentido de correr mais cedo ou então ao final do dia, para evitar a exposição nas horas de maior pico do sol. Também se deve usar sempre um chapéu, treinar o mais possível em áreas com sombra e, sempre que seja possível, usar protector solar. Aplicar o protector solar (pelo menos um factor 50, de preferência) cerca de 30 minutos antes de uma corrida irá permitirá estar protegido durante algumas horas. As localizações mais comuns para o cancro da pele são no nariz e nas orelhas, já que são as zonas mais expostas, até mesmo debaixo de um chapéu. Isto é particularmente importante, já que quase sempre nos esquecemos de colocar protector nas orelhas, por exemplo. O melanoma pode ocorrer em qualquer zona do corpo, até mesmo em zonas protegidas do sol. A utilização de protector encontra-se no centro de estudos científicos controversos, já que múltiplos estudos afirmam que alguns ingredientes destes produtos podem produzir determinadas reacções quando expostos ao sol e que danificam o DNA - o que é percursor do cancro. Alternativamente, existem no mercado protectores solares sem químicos, que podem ser uma boa opção para corredores preocupados com estes riscos. O vestuário também é importante. Enquanto alguns corredores optam por correr sem camisola nos dias de mais sol, encoraja-se sempre a sua utilização, mesmo sendo desconfortável. Existem mesmo no mercado camisolas de manga comprida adequadas ao calor e ao sol, fabricadas com materiais que permitem a respiração e transpiração da pele através do material, por forma a que não se sinta o calor. Existem mesmo alguns corredores de longas distâncias que optam sempre por utilizar vestuário de manga comprida, afirmando que a sua utilização pode ser ainda mais fresca do que expor o corpo directamente ao sol.

Detectar cedo os sinais

Aprender a identificar os sinais na pele potencialmente cancerígenos pode ser a chave para obter tratamento mais cedo, evitando assim complicações maiores. Alguns médicos recomendam mesmo fazer exames mensais à pele, bem como visitar um dermatologista uma vez por ano, principalmente no caso dos corredores. Qualquer sinal que pareça mudar de cor, forma ou dimensão, que sangre ou dê comichão, ou que apareça onde não havia nenhum, deverá ser examinado por um dermatologista. Fonte: Trailrunnermag

1 comentário

Comentar post