Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Ter | 03.04.12

Caimbras: causas e tratamentos

José Guimarães
Nesta prova do último domingo, os Trilhos do Almourol, vi de perto um acontecimento menos feliz que aconteceu com um amigo que corria ao meu lado. Felizmente acabou tudo bem, mas aquele ataque de cãimbras (já agora, é assim que se escreve?) não me sai da cabeça: foi rápido, doloroso e assustador! Deu-lhe nos dois gémeos ao mesmo tempo e obrigou-o a ir ao chão durante uns minutos até se recuperar, o que só aconteceu depois de alguns alongamentos e uma santíssima torneira de água fresca que ali estava por perto. Este acontecimento fez-me ir à procura de umas respostas e, apesar de cada caso ser um caso, deixo aqui algumas respostas que a mim fizeram algum sentido. Cãimbras nocturnas, cãimbras nas pernas, cãimbras frequentes, bananas para cãimbras ... neste texto explicaremos o que são as cãimbras, porque é que surgem e como fazer para evitar que apareçam. A cãimbra, ou cãibra, é um espasmo ou contracção involuntária dos músculos, normalmente muito dolorosa, que pode durar desde alguns segundos até vários minutos. A cãimbra pode atingir um ou mais músculos de uma vez. Qualquer músculo de controle voluntário pode ter estas contracções. Os músculos mais comuns são:
  • Panturrilhas (gémeos);
  • Músculos anteriores e posteriores da coxa;
  • Pés;
  • Mãos;
  • Pescoço;
  • Abdómen.
  Causas das cãimbras  Acredita-se que a causa básica da cãimbra seja uma hiper-excitação dos nervos que estimulam os músculos. Esta pode ser causada por:
  • Actividade física vigorosa (a cãimbra pode ocorrer durante ou após o esforço físico);
  • Desidratação (importante causa em idosos e em quem usa diuréticos);
  • Alterações hidro-eletrolíticas, principalmente deplecção de cálcio e magnésio;
  • Gravidez (normalmente a cãimbra é secundária a níveis baixos de magnésio);
  • Fractura óssea (como autoprotecção, os músculos em redor da lesão contraem-se involuntariamente);
  • Alterações metabólicas como diabetes, hipotiroidismo, alcoolismo e hipoglicemia;
  • Doenças neurológicas com Parkinson, doenças do neurónio motor ou doenças primárias dos músculos (miopatias);
  • Insuficiência venosa e varizes nas pernas;
  • Longos períodos de inactividade (ficar sentado em posição inadequada, por exemplo);
  • Alterações estruturais, como pé chato e o genu recurvatum (hiperextensão do joelho);
  • Hemodiálise;
  • Cirrose hepática;
  • Deficiência de vitamina B1, B5 e B6;
  • Anemia.
Muito se comenta sobre depleção de potássio como causa das cãimbras. Na verdade, a hipocalemia (baixos níveis sanguíneos de potássio) pode até causar contracções involuntárias, mas o seu principal sintoma é fraqueza ou paralisia muscular. O cálcio e o magnésio são as causas mais importantes e comuns de cãimbras. Algumas drogas podem também ser causadoras de cãimbras:
  • Diuréticos;
  • Donepezila (usado na doença de Alzheimer);
  • Neostigmina (usada na miastenia gravis);
  • Raloxifeno (usado para osteoporose e cancro da mama);
  • Remédios para hipertensão;
  • Broncodilatadores para asma;
  • Remédios para colesterol.
Em pessoas acima dos 60 anos, as cãimbras frequentes podem ser sinais de aterosclerose, que leva à diminuição da circulação sanguínea para determinado agrupamento muscular por obstrução do fluxo por placas de colesterol.   Como evitar as cãimbras? Para evitar ter cãimbras, deve-se fazer uma boa sessão de alongamento antes e após os exercícios, principalmente para sedentários. Também é importante uma boa hidratação antes, durante e depois do esforço, bem como evitar exercícios físicos em dias muito quentes. Existe também um grupo de pessoas que apresentam cãimbras noturnas, principalmente nos membros inferiores (panturrilha e pés em geral). É habitual estas pessoas apresentam a chamada cãimbra nocturna idiopática (idiopática significa sem causa aparente). São indivíduos normalmente com história familiar de cãimbras e em que não se consegue detectar nenhum tipo de alteração que as justifique. Nesse grupo, recomenda-se um programa de alongamento 15 minutos antes de dormir, dar preferência a alimentos ricos em cálcio e magnésio, manter uma boa hidratação ao longo do dia e evitar o sedentarismo. Algumas pessoas precisam de sapatos especiais que evitam contracções involuntárias e as cãimbras nos pés. Os alongamentos parecem ser o melhor método para prevenir cãimbras, principalmente quando ocorrem nas pernas. É importante salientar que não será de um dia para o outro que o alongamento trará resultados. É preciso pelo menos algumas semanas com alongamentos diários para o músculo ter mais resistência às contrações involuntárias. Uma hidratação adequada e alongamentos frequentes resolvem os problemas da maioria das pessoas com cãimbras idiopáticas. O melhor modo de controlar o grau de hidratação do corpo é através da cor da urina. Pessoas desidratadas apresentam uma urina de cor muito amarelada e normalmente com cheiro forte, enquanto que num corpo hidratado a urina é clara e sem cheiro. Existem alguns medicamentos, como vitamina E e complexo B que podem ajudar em casos específicos, mas que só devem ser tomados após avaliação médica.   Cãimbras na hemodiálise Pacientes com insuficiência renal em hemodiálise são um caso à  parte. A cãimbra é um sinal de redução do fluxo sanguíneo para o músculo. Em geral ocorre por uma redução excessiva dos líquidos durante as sessões de hemodiálise, ou por doses elevadas de anti-hipertensivos. Pacientes com cãimbras que não usam anti-hipertensivos devem aumentar o seu peso seco (peso após a sessão de hemodiálise). Aqueles com cãimbras, mas qbue usam remédios para a hipertensão, devem tentar suspendê-los ou reduzir a dose, mesmo que a pressão ainda esteja mal controlada.   As bananas evitam as cãimbras? Esta história das bananas é um pouco contraditória. A fruta é rica em potássio, carbohidratos (glicose) e água. Durante o esforço físico existe uma grande demanda dos músculos por energia (glicose). Depois de algum tempo de exercício, o músculo depleta as suas reservas de glicose e passa a utilizar outros meios para gerar energia. Uma das causas de cãimbras é o acumular de ácido láctico, que é o "lixo" metabólico após a geração de energia com baixa utilização de glicose. Uma boa hidratação ajuda a "lavar" esse excesso de ácido láctico da circulação e evita as cãimbras. Portanto, teoricamente a banana ajuda porque repõe os níveis de potássio, hidrata e fornece energia (glicose) para os músculos. Isto é verdade para cãimbras induzidas por exercício. Porém, esta dica não funciona com muitas pessoas. A resposta parece ser individual, mas como a banana não faz mal a ninguém, não custa nada testar.   Fonte: MD.Saúde