Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Qui | 14.08.14

Às compras para o UTMB - parte 1: suplementação desportiva

José Guimarães
Ontem fui às compras. Até podia ter ido aproveitar os saldos, mas não. Fui abastecer-me de comida para o meu próximo desafio: o UTMB - Ultra Trail du Mont Blanc. Claro que quem está a ler isto e a prestou atenção à fotografia publicada no post, poderá pensar em tudo menos comida. Na verdade vamos-lhe chamar suplementação desportiva, de acordo?

A importância da suplementação desportiva

A área de nutrição (e suplementação) desportiva é importantíssima para quem pratica desporto regularmente. Mas ainda se faz alguma confusão entre o que é nutrição desportiva e suplementação desportiva. Para manter as coisas simples, vamos considerar o seguinte*:
  • Nutrição desportiva: é toda a alimentação que fazemos, tendo em conta o desporto que praticamos (portanto, ir ao cinema e comer um balde de pipocas não conta);
  • Suplementação desportiva: são todos os suplementos que tomamos - adicionais à alimentação diária - para complementar as quantidades/nutrientes que necessitamos para a prática desportiva e que a nutrição por si só não nos consegue fornecer (proteína em grandes doses, aminoácidos, bebidas isotónicas, vitaminas, etc).
*Nutricionistas de todo o país, se quiserem complementar esta informação, façam o favor de comentar este post. Nós por cá agradecemos. Quanto maiores são as provas, mais importante se torna a nutrição/suplementação. Vão fazer quase 2 anos (em Outubro de 2012) que concluí a minha primeira ultra-maratona de 100 milhas, ou 166 kms. Nessa altura não fazia a mínima ideia do que iria enfrentar em tamanha distância, muito menos como me alimentar durante o tempo que iria demorar a concluir a distância. Com uma duração máxima de 28 horas, aprendi com a ajuda da Filipa Vicente a dividir a distância em etapas menores (42 km cada) e a gerir a alimentação para cada uma delas: ao início apostar mais nos géis e barras energéticas (alimentação mais doce), para depois da primeira maratona começar a alimentar-me com comida dita "normal" (mais salgada). E hidratar constantemente! No dia 29 de Agosto parto para outra prova em grande: o UTMB - Ultra Trail du Mont Blanc. Desta vez não vou correr pelas planícies da Andaluzia, mas sim pelas montanhas dos Alpes, atravessando a França, Itália e Suíça. Numa distância de 168 km, esta vai ser a minha maior prova até agora, não só em distância, mas também em desnível positivo (são cerca de 9.600m acumulados de subidas). Digo até agora, porque quem sabe que desafios virão aí no futuro... Sendo uma prova com duração máxima de 46 horas, torna-se essencial que, não só ao nível do equipamento, mas também da alimentação, tudo esteja previsto (mesmo os imprevistos) e que possamos acima de tudo contar com os nossos próprios recursos. Assim, comecei por abastecer a mochila com alguns essenciais, que farão toda a diferença ao longo dos 2 dias de prova. Deixo aqui algumas das mais importantes:
  • Pastilhas isotónicas: Para ir misturando na água e assim obter a ingestão constante de eletrólitos que se perdem através da transpiração. A uma relação de duas pastilhas por cada meio litro de água, se calhar o melhor é levar duas embalagens...
  • Gel energético: Para uma ingestão rápida de hidratos de carbono. Não sabia que também havia com sabor salgado, portanto comprei para experimentar e assim poder alternar entre sabores doces e salgados.
  • Barras energéticas salgadas: Barras energéticas, com hidratos de carbono (até aqui nada de especial), mas estas feitas à base de amendoim, o que irá permitir alternar entre sabores doces de outros suplementos com sabores mais salgados.
  • Bicarbonatos: Saquetas com pó de sabor neutro (dá para misturar na bebida isotónica, sem misturar sabores), com carbohidratos, sódio/sal e magnésio. O objetivo é ajudar na hidratação e na prevenção de cãibras.
  • Energy cake: 4 saquetas com um preparado de bolo de chocolate altamente calórico, para comer antes da prova (e provavelmente algures num dos postos de abastecimento onde é permitida a assistência dos acompanhantes) e carregar assim o corpo com hidratos de carbono.
E para já é tudo! Comprados alguns dos suplementos, ficam obviamente a faltar outros: talvez umas barras energéticas diferentes (já experimentaram as barras de cereais e figo da Alsnacks?), para alternar o tipo de sabores que ingerimos durante a prova, outro tipo de bebida isotónica, ou com outro sabor, etc. Mais tarde darei aqui atenção aos alimentos normais que prevejo levar comigo na mochila (à parte de toda a alimentação providenciada pela organização da prova), bem como algum do equipamento necessário/obrigatório. Mantenham-se atentos e se tiverem dúvidas façam um comentário aqui no post ou enviem mensagem.