Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Qui | 05.01.12

Algumas ideias sobre treinadores pessoais

José Guimarães
Apesar do nome "treinador pessoal" se parecer muito com o termo inglês bem conhecido "personal trainer", os treinadores a que aqui me refiro não são os de ginásio, mas sim, essencialmente, treinadores de corrida (e quem diz  corrida, diz de estrada, corta-mato, trail running, ou até mesmo ciclismo e natação, aqui claramente a atirar para o triatlo). Os objectivos, sempre os objectivos De vez em quando recebo um email ou vejo posts no Facebook ou aqui no site, de pessoas que vêem os treinos que faço ou as corridas em que participo e me dizem como gostavam também de fazer uma meia-maratona, ou que têm o sonho de participar numa maratona, mas que ou não sabem como treinar, ou não têm vontade, ou simplesmente não sabem como começar. Obviamente tenho sempre todo o gosto em ajudar quem quer que seja a dar os primeiros passos na busca de uma vida mais saudável, a iniciar algum tipo de actividade física ou a chegar a um plano de treino que seja adequado aos seus objectivos. Enquanto posso dar a Motivação que sei dar, não tenho no entanto nenhum tipo de formação em educação física, nem sou treinador oficial. Simplesmente falo da minha experiência e partilho o que sei e, o que para uns podem ser bons conselhos, para outros podem não ser suficientes. Ora, nestes casos e, creio eu, em quase todos os casos de quem quer fazer algo a sério (como quem está a começar uma temporada de corridas, ou quem pretende melhorar o tempo numa distância, ou participar naquela prova especial, etc), a melhor opção é mesmo escolher um treinador, alguém experiente e que saiba como o fazer chegar onde pretende. Em Portugal não temos propriamente nenhuma base de dados de treinadores que se possa simplesmente escolher um que nos agrade, pela sua experiência no curriculum ou pelos atletas que treina. Pelo menos penso que não temos tal coisa (talvez aqui exista um nicho de mercado a explorar, não?), ao contrário do que acontece em países como... ok, como nos EUA. Contudo, mesmo com uma tamanha listagem ao nosso dispor, continuo a preferir comprar algum serviço, com base na confiança transmitida pelo contacto com o prestador do serviço, mas também (e principalmente) pelo feedback que possa conseguir obter de quem já usufrui do mesmo. No caso dos treinadores, torna-se assim para mim confiar em testemunhos de outros atletas que se sentem satisfeitos. O porquê deste post A razão de escrever este post é porque estou em vias de escolher um treinador para os próximos meses, isto porque me sinto um pouco estagnado, mas com capacidades físicas ainda por explorar. E se o RunKeeper ou outros softwares já não me servem totalmente (nenhum tem um plano de treino, por exemplo, para ultra-maratonas ou para ganhar força para o trail running), estou certo que estou prestes a acordar com um treinador experiente um plano para os próximos meses. Concluindo...
  • Os treinadores podem ser sempre úteis para todos os níveis de preparação física e objectivos, mas em particular se estiver a iniciar-se ou com a intenção de desenvolver os seus limites actuais.
  • O "passa-a-palavra" é muito mais importante do que o curriculum de um treinador, porque é através de quem já experimentou na prática (e em quem confiamos) que sabemos se, de facto, estamos perante um bom serviço ou não. Vejam o caso das redes sociais e como elas nos influenciam dia-a-dia, com as opiniões e os "Likes" dos nossos amigos.
  • Reúna-se com o seu treinador (ou pré-treinador) e conversem sobre os seus objectivos, os outros atletas, horários de treinos e onde se poderá encaixar melhor.
  • Troque informação com o seu treinador sempre que lhe apetecer e de forma aleatória. Veja com que rapidez lhe responde, o que responde e avalie assim não só se estão disponíveis como se se preocupam de facto consigo. Saiba claramente se lhe pode ligar às 07h00 da manhã a dizer "a piscina está fechada hoje, o que é que posso fazer para substituir este treino?"... deverá poder fazê-lo.
  • Não tenha receio de o deixar se não gostar do serviço. Dê alguma tolerância (1 ou 2 semanas) mas não muita, porque é o seu tempo e o seu treino que sai mais prejudicado.
  • O mais caro não é necessariamente o melhor.
  • Por ter sido profissional em algum desporto, também não significa que seja o melhor treinador. Alguns dos melhores treinadores nem são grandes referências no desporto, mas entendem perfeitamente como se comporta a "máquina humana" e são óptimos a retirar dela todo o seu potencial.
  • A ligação via internet pode funcionar muito bem. Apesar da presença física ser muito importante, o acompanhamento online pode ser valioso, tanto para o treinador acompanhar o rendimento do atleta (e dar-lhe feedback baseado em dados realistas), como para o atleta ter um "ponto de encontro" com o treinador, mesmo que virtual. Mas decida se isto é realmente importante para si.
  • Pesquise na internet, em forums ou blogs. Normalmente ao ler artigos de treinadores ou atletas treinados por eles, consegue-se retirar informação preciosa para a nossa tomada de decisão.
Resumindo, se fizer parte dos seus planos, procure um treinador. Faça umas quantas pesquisas na internet, mas tente falar com uns amigos ou com outros atletas, ou mesmo nos clubes. Isto porque é sempre mais fácil alguém fazer um comentário mau  numa conversa privada do que num forum público na internet. E se precisar de ajuda, deixe aqui um comentário mais abaixo, pode ser que eu tenha algumas recomendações que lhe sejam úteis!

4 comentários

Comentar post