Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Qua | 30.11.16

A treinar e a experimentar os Brooks Glycerin

José Guimarães
Os treinos semanais do grupo Corrida Noturna Parque das Nações primam normalmente por uma boa afluência de malta que gosta de correr (claro) e de tirar o melhor partido possível da experiência de corrida. Foi principalmente com foco neste último fator que a 4Run nos convidou a fazer um test-drive aos famosos Brooks Glycerin. Provavelmente alguns de vós discordam de ter dito que a Brooks é uma marca famosa. Talvez isto aconteça por o nosso mercado estar tão habituado a outras marcas mais mainstream. Mas o que é certo é que a Brooks tem muita fama lá fora, principalmente nos EUA, tendo também já conseguido atrair alguns seguidores fiéis no nosso país e que, segundo me dizem, não estão muitos recetivos a mudar. Mas então o que é que faz com que esta marca seja ainda tão pouco conhecida entre a maior parte de nós, corredores portugueses, mas tão apreciada por quem já a utiliza? A Brooks tem uma máxima que pessoalmente aprecio bastante: Run Happy (correr feliz). Com isto a Brooks pretende focar-se mais na experiência emocional da corrida, e menos em explorar em demasia os detalhes técnicos dos seus modelos. Todos sabemos que cada corredor é um caso único e que cada pé é diferente do outro, não só em tamanho, mas também em inúmeras outras variáveis. Consequentemente, isto faz com que o sapato que é ideal para mim, pode não ser ideal para a pessoa ao meu lado, mesmo que ela até calce o mesmo número que eu e tenha os mesmos gostos que eu. Com isto em mente, a marca virou-se para aquilo que cada pessoa procura na corrida: as boas sensações, a atitude, o espírito que vive dentro de cada um de nós, em corpo e alma, sejamos novos ou velhos, rápidos ou lentos, homens ou mulheres, experientes ou iniciados. E parece-me uma boa filosofia. Posto isto, fomos experimentar o Brooks Glycerin (versão 13… já vai na 14), para perceber que ainda bem que há marcas assim no mercado, que em vez de tornar o processo de correr complexo, o tentam simplificar. E que este processo deve começar pela zona mais sensível e importante para a corrida: os nossos pés. What else? Tecnicamente, aquilo que pude sentir ao correr com estes sapatos foi a sensação de estar a calçar um tradicional sapato de corrida, sem grandes aparatos, mas eficientemente desenvolvido para aquilo que é suposto: correr. Mais ou menos como me sentar ao volante de um carro ou de uma moto construídos para competir. É aquela sensação que muitas vezes nos esquecemos, de tanto pormenor técnico que por vezes nos tendemos a (des)focar. O Brooks Glycerin é um sapato feito para corredores de passada neutra e que procuram acima de tudo conforto, sem comprometer a sensação que se deve ter em todo o pé, no contacto com o solo e transição de cada passada. A meia sola Super DNA e as zonas especícifas de pressão oferecem um contacto suave com o solo, bem como uma distribuição de pressão equilibrada em todo o pé. Quanto atamos os atacadores, o upper molda-se de tal forma ao pé, que proporciona um ajuste perfeito e quase personalizado, permitindo tanto adoptar um ritmo rápido e flexível, como manter-me focado na distância e aproveitar o conforto para acumular quilómetros de corrida. Este será portanto uma boa aposta para aqueles que procuram um sapato de corrida neutro, capaz de proporcionar muito conforto geral, sem a terrível sensação de se calçar um sapato “mole”, que é a preocupação geral de quem procura um sapato com amortecimento. Obrigado à 4Run e à Brooks por nos terem proporcionado esta experiência com uma marca/modelo, infelizmente tão pouco ao nosso alcance.