10 dicas para quem quer começar a fazer triatlo

itried_triatlo_desedentarioamaratonista

Esta noite, durante o treino do grupo Corrida Noturna Parque das Nações, o Tiago veio perguntar-me algumas dicas para começar a fazer triatlo.

O Tiago é daqueles tipos que não corre… voa! Tem uma genética que lhe dá algumas vantagens para correr depressa e sem grandes dificuldades, pelo que achei interessante lhe estar a apetecer experimentar algo novo.

Eu sou muito contra as rotinas, logo, apologista de experimentarmos outros desportos, outros desafios e, com isso, até adoptarmos um método chamado de cross training para nos ajudar a melhorar a performance no nosso desporto preferido.

Ler o artigo relacionado: Cross Training, o que é isso?

Assim sendo, especialmente para ti, caro Tiago, mas também para todos os atletas que gostavam de experimentar esta modalidade que está em clara expansão no nosso país, aqui ficam 10 dicas para, pelo menos, começarem a pensar na primeira prova de triatlo:

1. Comecem pelos pequenos, antes dos grandes

Um Ironman é sem dúvida alguma o maior evento de triatlo do mundo. No entanto, porque consiste em 3,9km a nadar, 180km de bicicleta e 42km a correr, será algo a evitar para uma primeira experiência neste desporto.

Tal como se deve fazer na corrida, também aqui devem procurar começar com um triatlo mais curto, como a distância Sprint, que consiste em 750m de natação, 20km de bicicleta e 5km de corrida. A partir daqui, vão tomando o gosto e crescendo nas distâncias.

2. Mantenham-se perto de casa

Para a primeira prova, facilitem a vossa logística e escolham um evento próximo de casa. Isto vai fazer com que se sintam menos stressados, não só porque podem preparar tudo com menos antecedência, mas inclusive, se se esquecerem de alguma coisa, podem sempre ir a casa buscá-la.

Podem escolher as provas diretamente no site da Federação de Triatlo de Portugal.

3. Basta um fato e uns óculos para nadar

Se têm pouca experiência em natação em águas abertas ou nem têm um fato isotérmico para nadar, experimentem primeiro. Peçam um fato emprestado a um amigo com a vossa estatura, ou comprem um usado (mas em bom estado) para começar. Notem que nem todas as provas obrigam a ter um fato para nadar, pois depende sobretudo da temperatura da água. Mas se juntarem isto a um bom par de óculos de natação, terão tudo o que vão precisar para esta parte da vossa primeira prova de triatlo.

4. Uma bicicleta simples serve

Qualquer bicicleta serve para participar numa prova aberta de triatlo. Pode ser uma bicicleta de estrada, ou até uma de montanha (BTT). Conheço muita gente que participou em triatlos com uma BTT, ou se não tinha, pediu uma bicicleta emprestada. Tenham é a certeza que o tamanho é adequado à vossa estatura e que toda a mecânica está em ordem. Muitas corridas têm apoio mecânico, mas o melhor será sempre vocês saberem pelo menos como trocar um pneu de bicicleta.

5. Vão precisar de sapatos de corrida

Se ainda não têm uns sapatos de corrida, comprem uns bons para estrada. Procurem uma loja especializada, que vos saiba aconselhar no melhor tipo de sapato, para o vosso tipo de pé e de passada e para os treinos e corridas que pretendem fazer.

Se precisarem de ajuda para escolher o equipamento mais adequado, contactem-me!

6. Não vão precisar de treinar tanto como pensam

De certeza que nesta fase não vão estar a pensar ir ao pódio num Ironman, portanto esqueçam os míticos volumes de treino de 20 ou 30 horas por semana. Podem muito bem preparar-se para um triatlo na distância Sprint com menos de 5 horas de treino semanais.

Se precisarem de ajuda para um treino adequado, contactem-me!

7. Não se esqueçam de planear o descanso

Para os mais ansiosos, é fácil planear nadar, andar de bicicleta e correr. Mas tenham a certeza que também planeiam o repouso. Vão querer treinar o suficiente para completar uma prova e divertirem-se. E nesta fase inicial, é melhor concluir o evento com um sorriso na cara, consciente do que se fez e desejoso pela próxima oportunidade.

8. A transição também se treina

Lembro-me bem das primeiras vezes que participei em provas de triatlo, da quantidade de tempo que demorava a tirar o fato de natação e a equipar-me para o ciclismo. E do tempo que demorava a calçar os ténis e o resto do equipamento para ir correr. Estes momentos são chamados de transições (T1 e T2) e convém treinar, pois o tempo que aqui se demora também conta para o total da prova. Todo o tempo que passa entre o início da natação até cortarem a meta conta. Pratiquem as transições para que sejam feitas sem stress e da forma mais rápida possível.

9. A primeira metade mais lenta

Tal como nas corridas, também no triatlo se assiste aos atletas mais inexperientes a começar uma prova de forma demasiado rápida. Façam uma estimativa de quanto tempo julgam demorar na totalidade do evento. Planeiem fazer a primeira metade desse tempo num ritmo mais lento do que julgam serem capazes. Quando chegarem a meio da prova, aumentem o ritmo e terminem em força. A esta estratégia dá-se o nome de “negative split”.

10. Atenção a um equipamento muito especial

No triatlo usa-se muito um equipamento que tem tanto de especial como de simples. Comprem atacadores elásticos. Existem atualmente no mercado várias marcas, como a Xtenex, mas todas fazem praticamente o mesmo. Os atacadores elásticos permitem calçar os sapatos de corrida sem terem de atar os atacadores, eliminando assim esse tempo precioso.

Para a vossa primeira corrida, tentem manter as coisas o mais simples possíveis. Se gostarem e assim que se viciarem neste desporto, podem procurar apurar algumas técnicas para serem mais fortes, mais rápidos e começarem a pensar em provas mais longas.

Se estão a planear fazer o vosso primeiro triatlo e estão à procura de dicas, entrem em contacto comigo. Terei todo o gosto em ajudar.

Share

Depois de longos anos sem praticar desporto, redescobri esta minha paixão pelo exercício físico em 2011 através da corrida. Na altura, quando treinava para conquistar a minha primeira maratona, criei o blog De Sedentário a Maratonista, para partilhar os meus progressos e dificuldades. Depois dessa meta atingida, descobri no trail running e nas ultra-maratonas uma paixão que nunca mais deixei e que ainda hoje me faz sonhar com novas e mais ousadas aventuras. Duas vezes "finisher" do UTMB - Ultra Trail du Mont Branc e com um Ironman na mira, esta é a minha forma de fazer chegar a mais pessoas o prazer que tenho por uma vida ativa e mais saudável, e de as motivar a, também elas, perseguirem os seus sonhos. Porque a motivação também se treina!

Recommended Posts

Seguir

Receba cada um dos artigos deste site no seu email, sempre que forem publicados.

Junte-se aos outros seguidores: