Porque é que o meu suor cheira mal?

smellscience_desedentarioamaratonista

O facto da transpiração de algumas pessoas não ter qualquer mau odor e a de outras cheirar mal que tresanda (normalmente o cheiro assemelha-se a amoníaco), intrigou-me, pelo que fui pesquisar e estou aqui a partilhar este artigo que, espero eu, seja esclarecedor.

O bom funcionamento do corpo humano baseia-se num equilíbrio entre a ingestão de carbohidratos, proteínas e de gorduras. Se a balança pende mais para o lado de um destes nutrientes, podem surgir sinais de uma nutrição mais desequilibrada e o cheio a amoníaco na transpiração é um deles. No entanto, se praticar exercício físico vos deixa a cheirar a algo situado entre um químico de limpezas industriais e urina de gato, relaxem, porque existe uma solução fácil.

Os carbohidratos são o combustível número um do corpo humano e, de uma forma simplificada, as gorduras funcionam um pouco como o seu “backup”. As proteínas também são muito importante no bom funcionamento do corpo e podem também fornecer energia, embora estejam mais vocacionadas para outras funções.

Uma dieta rica em proteínas e pobre em carbohidratos pode originar o tal cheiro de amoníaco no suor. E porquê?

Quando alguém com este tipo de dieta faz exercício físico, o seu corpo vê-se forçado a transformar proteína em energia. Para tal, os aminoácidos são transformados em vários componentes, parte dos quais é convertido em glucose. Os outros elementos resultantes deste processo são resíduos e, se o corpo não tem capacidade para os gerir na totalidade, estes são expelidos através da pele. O amoníaco é uma das formas que estes resíduos podem tomar.

Tipicamente, o amoníaco (que é mau em grandes quantidades) seria convertido em ureia e expelido de forma segura através da urina. Se por acaso existir demasiado amoníaco, o corpo recorre ao seu velho modo de se desintoxicar: o suor. E é assim que a transpiração sai a cheirar mal. No entanto, se isto não acontecesse, um excesso de amoníaco no corpo poderia afetar as funções neurológicas e causar fadiga muscular.

Diminuir a ingestão de proteínas e aumentar a ingestão de carbohidratos pode ser uma solução. Mas se isto não ajudar totalmente, experimentem beber mais água. Além da água ajudar a diluir o amoníaco, também torna mais fácil a sua excreção.

 

Se o vosso objetivo for correr uma maratona, ou fazer alguma outra atividade física exaustiva, pode ser difícil evitar o tal cheiro a amoníaco no final da prova, já que a longa duração de uma atividade física pode tornar o corpo particularmente suscetível a estes fenómenos. Mas nada de mais. Afinal de contas, correram uma maratona, certo? O que é o mau cheiro do suor, comparado com esse feito?

No entanto, fica uma nota importante: se o odor a amoníaco vier, por exemplo, da boca, ou não estiver diretamente ligado a este fenómeno da transpiração com o exercício, ou ainda for acompanhado de outros sintomas, pode ser sinal de algo mais grave, como perturbações no fígado ou rins, pelo que deverão consultar rapidamente um médico.

Fonte: How Stuff Works – Health

Share

Depois de longos anos sem praticar desporto, redescobri esta minha paixão pelo exercício físico em 2011 através da corrida. Na altura, quando treinava para conquistar a minha primeira maratona, criei o blog De Sedentário a Maratonista, para partilhar os meus progressos e dificuldades. Depois dessa meta atingida, descobri no trail running e nas ultra-maratonas uma paixão que nunca mais deixei e que ainda hoje me faz sonhar com novas e mais ousadas aventuras. Duas vezes "finisher" do UTMB - Ultra Trail du Mont Branc e com um Ironman na mira, esta é a minha forma de fazer chegar a mais pessoas o prazer que tenho por uma vida ativa e mais saudável, e de as motivar a, também elas, perseguirem os seus sonhos. Porque a motivação também se treina!

Recommended Posts

Seguir

Receba cada um dos artigos deste site no seu email, sempre que forem publicados.

Junte-se aos outros seguidores: