Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Ter | 07.02.17

Skechers GoRun Ride 6 vs. Skechers GoMeb Speed 4: qual escolher?

José Guimarães
A Skechers Performance apresenta uma ampla coleção de running com mais de 100 modelos (modelo/cor) para homem e mulher. A tecnologia própria M-Strike promove uma passada mais eficiente, o material 5Gen, presente em todos os modelos, oferece um grande amortecimento e impulso, bem como, diferentes tipos de drop, principalmente de 4mm e, em alguns casos, de 8 mm. São estas três características que permitem a marca abranger todo o tipo de corredores, uso e distâncias, numa gama que prima pela leveza, amortecimento e estabilidade, ao qual se juntam os modelos de trail running, sapatilhas com amortecimento máximo e modelos específicos para competição.

Skechers GoRun Ride 6: amortecimento neutro

São sapatilhas neutras de grande leveza e amortecimento, pensado apenas 235 gramas (modelo masculino). A par dos restantes modelos de performance da marca, as Skechers GORUN Ride 6 apresentam o amortecimento 5Gen e o M-Strike que promove uma passada mais eficiente. Além disso, destacam-se pelo Upper GOknit, virtualmente sem costuras, que proporciona um grande suporte, conforto e estabilidade. O contraforte é moldado e as tiras de suporte internas na parte média permitem maior estabilidade e ajuste. Já o Quick Fit facilita o ato de calçar e descalçar rapidamente as sapatilhas. Estas incluem ainda pormenores refletores. PVP aproximado: 109,95€

Skechers GoMeb Speed 4: resposta reativa

Além das tecnologias 5Gen e M-Strike, para amortecimento, leveza, impulso e eficiência da pisada, as Skechers GOMEB SPEED 4 possuem um Upper GOknit sem costuras que proporciona grande apoio, conforto e transpiração. A placa de estabilidade Dupont Delrin na sola intermédia proporciona uma grande resposta, estabilidade e apoio a cada passada. Além disso, a parte exterior do contraforte reforçada com Dupont Hytrel segura o pé contribuindo para um acréscimo de estabilidade. Por fim, as sapatilhas GOMEB SPEED 4 possuem ainda uma sola Parametric Web de grande leveza, durabilidade e flexibilidade, bem como, tração em diversas superfícies; sistema de laçada Lockdown para um ajuste mais seguro e detalhes refletores. PVP aproximado: 124,99€ Os modelos encontram-se disponíveis na loja Skechers Rossio e nas lojas Skechers do C.C. Fórum Almada, C.C. Vasco da Gama, C.C. Colombo, C.C. Cascaishopping, Forum Algarve, Algarve Shopping, C.C. Arrábida Shopping, Fórum Coimbra, C.C. The Style Outlet. Os modelos da marca estão também à venda nas lojas Sport Zone e em outros pontos de venda autorizados.
Ter | 07.02.17

Serão as 100 milhas a nova maratona?

José Guimarães
Se já correm há algum tempo e já passaram pela distância da maratona, provavelmente está nos vossos planos fazer aquilo a que se dá o nome de ultra maratona. Depois da maratona me ter motivado em primeira mão a correr, já que a tinha então como o teste máximo à minha capacidade de resistência, o trail running e a corrida em ambiente de montanha redefiniram por completo os meus horizontes. Com o trail running comecei a estabelecer outros objetivos e descobri que não há limites para as distâncias possíveis de cobrir nesta modalidade. Comecei o meu percurso com o Grande Trail da Serra d’Arga, passei pelos Trilhos dos Abutres, Almourol, Ultra de Sesimbra, Serra da Freita e, uns meses depois desta última, estava a enfrentar a minha primeira prova de 100 milhas. 100 milhas (ou aproximadamente 160 km) é uma distância que já não assusta muita gente. Basta olhar para a quantidade de provas organizadas nesta distância e para a quantidade de atletas que nelas se inscrevem. Provavelmente representa hoje para os corredores o marco que a maratona representava há umas décadas atrás. Para muitos é, por exemplo, uma distância que se percorre facilmente num treino longo. Pode, assim, a distância de 100 milhas ser considerada a nova “maratona”? O que para alguns é natural e representa o próximo passo lógico nas suas corridas, para muitos é algo ainda incompreensível. Se correr 42 quilómetros está ao alcance da maior parte das pessoas (a qualidade com que se fazem esses 42km é outra história, ok?), correr 160 quilómetros representa uma distância pela qual os corredores médios devem ter algum respeito. Claro que as sensações são sem dúvida algo que passa pela cabeça de quem corre. Pensar “até onde consigo ir?” e sentir que se pode correr para sempre é um sentimento de invencibilidade como há poucos. Mas a passagem para distâncias  maiores convém ser feita de forma progressiva e adequada. Treinar para corridas longas e, ainda para mais, com as características do trail running e da montanha é mais exigente do que treinar para correr em estrada. Provas como o Ultra Trail du Mont Blanc – UTMB são desafiantes porque têm (muitas) subidas intermináveis e condições climatéricas imprevisíveis. Por isso é que este tipo de provas (e distâncias) podem ser avassaladoras, mesmo para corredores mais experientes. Os planos de treino destes atletas incluem, à parte do treino da distância, treino da altimetria (o UTMB representa, por exemplo, 10.000m de D+). Assim, provavelmente a maior diferença entre correr uma maratona e uma prova de 160km (ou mais) está na capacidade de cada um conseguir resistir ao sofrimento. Numa corrida mais curta, há pontos positivos e negativos, mas são sempre de curta duração. Numa ultra maratona, até os piores momentos podem durar horas e é necessário aprender a ultrapassá-los. Assim sendo, aqui, tal como em qualquer outro objetivo, resume-se tudo ao desejo que cada atleta traz consigo. Se realmente o quisermos fazer, seremos capazes de o fazer. E quando vemos pessoas normais, com empregos a tempo inteiro e filhos para criar, a correr este tipo de provas, torna-se praticamente impossível de dizer quem é que consegue chegar ao fim, ou não. Algumas provas mais importantes têm como requisitos a qualificação obrigatória, mas a maior parte dos organizadores confia que os atletas estão devidamente preparados. Além de ser impossível perceber quem é que está mentalmente preparado para uma prova desta natureza, o treino físico pode ser ainda sobre estimado. No final das contas, os quilómetros é que vão ditar a sorte de cada um. Fonte: Runners World